Opinião

Pelo fim do individualismo

diario da manha

Com­ba­ter a au­tos­su­fi­ci­ên­cia é uma guer­ra an­ti­ga que vem sen­do tra­va­da pe­la hu­ma­ni­da­de no de­cor­rer dos sé­cu­los. Es­te sen­ti­men­to aflo­ra a per­cep­ção de que so­mos im­ba­tí­veis, in­fa­lí­veis, do­nos do tem­po, da vi­da e de tu­do aqui­lo que es­tá ao nos­so re­dor.

A au­tos­su­fi­ci­ên­cia cri­ou um ser hu­ma­no que acre­di­ta ser o to­do po­de­ro­so, ca­paz de tu­do, que con­se­gue mu­dar a ló­gi­ca das coi­sas, in­ver­ter os ru­mos da pró­pria na­tu­re­za, não só eco­ló­gi­ca/am­bien­tal mas tam­bém a na­tu­re­za que ca­rac­te­ri­za qual­quer um de nós.

Acre­di­tan­do ser um ser com po­de­res in­ter­mi­ná­veis viu-se co­lo­can­do tu­do e to­dos em um la­bo­ra­tó­rio cons­tan­te, on­de o ou­tro, a vi­da, e tu­do aqui­lo que o cir­cun­da não pas­sa de um ob­je­to pa­ra ser usa­do a seu bel pra­zer, in­clu­si­ve che­gan­do ao pon­to de ser des­car­tá­vel.

As­sim, fo­mos cri­an­do um ser fe­cha­do em si mes­mo, que agu­çou um in­di­vi­dua­lis­mo ex­tre­mis­ta e por­que não di­zer um in­di­vi­dua­lis­mo fun­da­men­ta­lis­ta. Que de­fen­de a to­do cus­to su­as pró­pri­as con­vic­ções mes­qui­nhas e fe­cha­das em si mes­mo. Pa­re­ce que o co­nhe­ci­men­to que ad­qui­ri­mos não es­tá per­mi­tin­do que abra­mos os nos­sos olhos nem a nos­sa men­te, ele pa­re­ce ain­da es­tar pre­so ao pa­pel tim­bra­do que co­mu­men­te cha­ma­mos de di­plo­ma. Pa­re­ce ser um co­nhe­ci­men­to que en­du­re­ce a al­ma e não a eno­bre­ce.

To­da­via, sa­be­mos que não so­mos as­sim, não nas­ce­mos pa­ra vi­ver­mos so­zi­nhos, não nas­ce­mos pa­ra nos re­a­li­zar­mos so­zi­nhos, não nas­ce­mos pa­ra es­tar­mos so­zi­nhos, não nas­ce­mos por nas­cer. Nos­sa exis­tên­cia se com­ple­ta jus­ta­men­te no en­con­tro com o ou­tro. Quan­do so­mos ca­pa­zes de nos unir­mos, de nos cu­i­dar­mos, de cri­ar­mos la­ços e re­des de ami­za­des…

Aris­tó­te­les, um dos gran­des fi­ló­so­fos da hu­ma­ni­da­de, já de­fen­dia a te­se de que so­mos se­res so­ci­ais por ex­ce­lên­cia, que nos­sa vi­da só faz sen­ti­do quan­do con­se­gui­mos cri­ar um am­bi­en­te em que a vi­da em to­da a sua ple­ni­tu­de e va­ri­a­ções acon­te­ça de fa­to.

Nes­ta di­re­ção, faz-se ur­gen­te com­ba­ter o re­sul­ta­do per­cep­tí­vel da au­tos­su­fi­ci­ên­cia do nos­so tem­po, que é o mal pro­vo­ca­do pe­lo de­su­ma­no in­di­vi­dua­lis­mo. Faz-se ne­ces­sá­rio o com­ba­te in­ces­san­te des­te sen­ti­men­to que nos afas­ta, que cor­rói a al­ma, que ce­ga o ser, que en­du­re­ce o co­ra­ção.

O in­di­vi­dua­lis­mo que per­ce­be­mos na mo­der­ni­da­de es­tá dei­xan­do o ser hu­ma­no va­zio, sem ru­mo, sem pru­mo, sem va­lo­res que fa­zem de­le um ser me­lhor. A au­tos­su­fi­ci­ên­cia fez o ser hu­ma­no bri­gar con­si­go mes­mo e aflo­rar ne­le uma cren­ça que se trans­fi­gu­rou nes­ta fa­mi­ge­ra­da on­da de acre­di­tar que tu­do po­de.

Di­zem que das cri­ses sur­gem as gran­des mu­dan­ças, oxa­lá se­ja ver­da­dei­ra es­ta as­ser­ti­va. Pois pre­ci­sa­mos ul­tra­pas­sar es­te es­tá­gio de pe­que­nez. Pois só as­sim da­re­mos um gran­de avan­ço e quem sa­be co­me­ça­re­mos a acre­di­tar em nós mes­mos no­va­men­te.

E co­mo to­dos nós sa­be­mos, que ne­nhum ser hu­ma­no é uma ilha, com­ple­to e fe­cha­do em si pró­prio. So­mos com­par­tí­ci­pes da ar­te de vi­ver.

 

(Wal­ber Gon­çal­ves de Sou­za, pro­fes­sor e mem­bro das Aca­de­mi­as de Le­tras de Ca­ra­tin­ga – ACL e Te­ó­fi­lo Oto­ni – Alto)

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar