Opinião

Opinião: As gre­ves de pro­fes­sor re­sul­tam no faz-de-con­ta crô­ni­co da edu­ca­ção

diario da manha

“Vi on­tem pro­fes­so­res fa­zen­do gre­ve pe­lo TER. Fi­quei em dú­vi­da se se tra­ta­va de pro­fes­so­res, pois es­tes têm con­sci­ên­cia de seu pa­pel que é des­per­tar o SER nos seus dis­cí­pu­los, dan­do a eles o exem­plo.”
Fran­cis Ia­co­na

O úl­ti­mo ele­men­to nor­te­a­dor, de que as gre­ves de pro­fes­sor re­sul­tam no faz-de-con­ta crô­ni­co da edu­ca­ção, con­diz exa­ta­men­te com o pro­pó­si­to da co­mu­ni­da­de es­co­lar: é que, des­sa vez, a “re­po­si­ção”, dos di­as não tra­ba­lha­dos, co­me­ça an­tes mes­mo da as­sem­bleia ava­li­a­ti­va dos si­nais de cum­pri­men­to do go­ver­no.

Pe­lo me­nos, des­co­bri que é pre­ci­so mui­ta ima­gi­na­ção pa­ra o faz-de-con­ta pre­va­le­cer! Ali­ás, a pa­la­vra “re­po­si­ção” tam­bém re­for­ça a lam­ban­ça. Vem do La­tim “re­po­si­tio, onis”- vol­tar a pôr ou co­lo­car al­go ou al­guém no lu­gar ou es­ta­do que ti­nha an­tes. Co­mo pôr no­va­men­te al­go que ain­da não foi pos­to ne­nhu­ma vez? En­tão, acho mais ade­qua­do cha­mar es­se in­ten­to de cum­pri­men­to das au­las do ca­len­dá­rio le­ti­vo.

Es­se cum­pri­men­to pro­pos­to das au­las da gre­ve chei­ra-me pu­ni­ção ape­nas. O ca­len­dá­rio ofi­ci­al de “re­po­si­ção” dis­cri­mi­na só a quan­ti­da­de de au­las, as qua­is o pro­fes­sor tem que pa­gar a qual­quer cus­to, mas em que tur­ma, qua­is con­te­ú­dos, a qua­is alu­nos, is­so não se fa­la, não lhe in­te­res­sa.

Uma vez des­sas, o Sintego re­sol­veu as­sim: “A re­po­si­ção co­me­ça­rá no dia 14 de abril e ha­ve­rá re­po­si­ção aos sá­ba­dos, ten­do co­mo li­mi­te as 18 ho­ras, o que sig­ni­fi­ca que os alu­nos que es­tu­dam no pe­rí­o­do da noi­te po­de­rão ter au­las no fi­nal de se­ma­na em ou­tro tur­no”. Ora, no sá­ba­do, o tran­spor­te es­co­lar mu­ni­ci­pal não fun­cio­na, e os re­li­gi­o­sos (Ad­ven­tis­tas) não tra­ba­lham, di­ga-se de pas­sa­gem! Is­so pro­va que o fo­co é o pro­fes­sor de­ve­dor não o alu­no per­de­dor.

Aqui o que im­por­ta à lei é a quan­ti­da­de. A tur­ma do mal, ou me­lhor, a ban­da po­dre já fa­la até de fa­zer um even­to de jo­gos in­ter­clas­ses pa­ra va­ler co­mo cum­pri­men­to das au­las da gre­ve; pas­sei­os. E que tal, uns tra­ba­lhos ex­tra­clas­se pa­ra con­tar tam­bém? Com o anún­cio do cor­te de pon­to ale­a­to­ri­a­men­te, se­rá que o go­ver­no quer que os ser­vi­do­res que, por mo­ti­vos tais co­mo: li­cen­ça ma­ter­ni­da­de, li­cen­ça sa­ú­de e fé­rias-prê­mio, pa­gue pe­lo o pre­ju­í­zo que não cau­sa­ram?

E se o alu­na­do não qui­ser au­las aos sá­ba­dos? Eu até gos­ta­ria de pre­sen­ci­ar uma re­vol­ta de alu­no, por es­se mo­ti­vo, pa­ra eu ver a iné­di­ta ati­tu­de do go­ver­no, co­mo ele de­vol­ve­ria os “pon­tos cor­ta­dos”. Aí, as au­las não acon­te­ce­ri­am, e o que os pro­fes­so­res gre­vis­tas iri­am fa­zer?

E os tu­to­res das sub­se­cre­ta­rias (du­plas pe­da­gó­gi­cas) iri­am fa­zer o quê? Ali­ás, a pre­sen­ça des­tes na Uni­da­de Es­co­lar su­bes­ti­ma a com­pe­tên­cia do gru­po ges­tor. E opri­me os ta­len­tos pa­ra que as ino­va­ções bem in­ten­ci­o­na­das, em con­so­nân­cia com a re­a­li­da­de par­ti­cu­lar, ve­nham à to­na. Tal­vez a Uni­da­de Es­co­lar te­nha uma ideia me­lhor!!! E sem­pre tem, po­rém não po­de pra­ti­cá-la o ca­bres­to é aper­ta­do.

Há ou­tra coi­sa en­gra­ça­da, nas au­las va­gas do pro­fes­sor que não veio ho­je, por­que es­ta­va de ates­ta­do mé­di­co, o ou­tro de­ve­dor da gre­ve so­ma pa­ra si. En­tão dois pro­fes­so­res ga­nham por uma au­la só. “Bo­la de ne­ve”!

Uma gre­ve ge­ra ou­tra gre­ve, es­ta que, por sua vez, já acon­te­ce con­ti­nua­men­te com o no­me de “ope­ra­ção tar­ta­ru­ga”!

(Clau­de­ci Fer­rei­ra de An­dra­de, pós-gra­du­a­do em Lín­gua Por­tu­gue­sa, li­cen­cia­do em Le­tras, ba­cha­rel em Te­o­lo­gia, pro­fes­sor de fi­lo­so­fia, gra­má­ti­ca e re­da­ção em Se­na­dor Ca­ne­do, fun­cio­ná­rio pú­bli­co)

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais