Opinião

Tremenda injustiça

diario da manha

Na Ho­lan­da, um réu de 72 anos, após ou­vir a sen­ten­ça que o con­de­na­va per­pe­tua­men­te(4 lus­tros de cár­ce­re pa­ra um an­ci­ão é per­pe­tu­i­da­de) por cri­me de guer­ra, er­gueu-se pa­ra pro­tes­tar por não  ad­mi­tir a cul­pa, e a se­guir in­ge­riu a mor­te.

Não há mai­or tes­te­mu­nho de ino­cên­cia do que o su­i­cí­dio pa­ra fu­gir da con­de­na­ção por cri­me não pra­ti­ca­do. Há pou­co,  no Bra­sil,  um jo­vem rei­tor se ma­tou por não su­por­tar o  lin­cha­men­to mo­ral  que lhe im­pu­se­ram agen­tes da di­ta­du­ra do ju­di­ci­á­rio bro­ta­da no in­con­for­mis­mo de 4 der­ro­tas elei­to­ra­is se­gui­das e con­cre­ti­za­da pa­ra pa­ra ven­der o pa­ís, pa­ra ti­rar di­rei­tos do tra­ba­lha­dor, pa­ra fur­tar o so­nho da apo­sen­ta­do­ria, pa­ra mais con­cen­trar a ren­da e em­po­bre­cer a Na­ção.

Lu­te­ro te­ria di­to que o ho­mem é ado­ra­dor na­to. Es­se pen­sa­men­to me pa­re­ce ób­vio. É a hu­ma­ni­da­de cons­ti­tu­í­da por idó­la­tras e po­li­te­ís­tas. O prin­ci­pal deus é um só em du­as pes­so­as: di­nhei­ro e po­der. A ele to­da de­di­ca­ção, a ele to­do sa­cri­fí­cio, a ele to­tal obe­di­ên­cia. A ele se quei­ma in­cen­so de san­gue e lá­gri­mas de gen­te. O  ego­ís­mo e o con­su­mis­mo são deu­ses me­no­res, mas mui­to ado­ra­dos.

O ho­mem é lin­cha­dor na­to. Pa­ra a so­ci­e­da­de, to­da ab­sol­vi­ção é in­jus­ta, so­men­te a con­de­na­ção lhe sa­tis­faz. No pas­sa­do não dis­tan­te, es­co­la “boa” era a ri­go­ro­sa na dis­ci­pli­na. O Ser­vi­ço Mi­li­tar era ad­je­ti­va­do de sa­lu­tar por­que se­ve­ro o tra­ta­men­to. Ju­í­zes se apra­zem em pu­nir; pro­mo­to­res, em de­nun­ci­ar, em pe­dir pe­na­li­da­des mais pe­sa­das. As tor­tu­ras, os maus tra­tos nos pre­sí­di­os, as eli­mi­na­ções su­má­ri­as, a pe­na de mor­te des­cen­dem des­sa ido­la­tria, des­se po­li­te­ís­mo, des­se apre­ço ao lin­cha­men­to. A mai­o­ria dos ju­í­zes e pro­mo­to­res dei­xam ex­tra­va­sar es­ses ne­ga­ti­vos sen­ti­men­tos. Não acre­di­to que ha­ja jul­ga­men­to ver­da­dei­ro, ou se­ja, mar­ca­do pe­la isen­ção. Cri­mi­no­sos de guer­ra con­du­zi­dos  aos tri­bu­nais per­ten­cem aos exér­ci­tos der­ro­ta­dos.  Den­tre os bra­si­lei­ros que aju­da­ram a mas­sa­crar o Pa­ra­gu­ai hou­ve al­gum réu? Se­ria Ca­xi­as, mas o ele­ge­ram he­rói, as­sim co­mo fi­ze­ram com Anhan­gue­ra, ex­ter­mi­na­dor de ín­di­os. Só a gra­ça di­vi­na nos faz amar e pra­ti­car a jus­ti­ça. Fo­ra dis­so é ar­ro­gân­cia, hi­po­cri­sia e mal­da­de.

Há réus que de­ve­ri­am ser ju­í­zes, há ju­í­zes que de­ve­ri­am ser réus. Há réus que de­ve­ri­am acu­sar e há pro­mo­to­res que de­ve­ri­am ser acu­sa­dos pe­los réus. En­fim, o jus­ti­ça hu­ma­na, no­ta­da­men­te a bra­si­lei­ra, é uma tre­men­da in­jus­ti­ça. Que Deus nos pro­te­ja das su­as gar­ras.

 

(Fi­la­del­fo Bor­ges de Li­ma. fi­la­del­fo­bor­ges­de­li­[email protected])

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais