Opinião

A gestão de segurança no conceito da internet das coisas

diario da manha

Os ges­to­res pú­bli­cos e pri­va­dos es­tão pas­san­do por um no­vo mo­de­lo de ad­mi­nis­tra­ção no cam­po da se­gu­ran­ça. Tra­ta-se do con­cei­to de Se­gu­ran­ça da In­ter­net das Coi­sas (do in­glês, In­ter­net Of Things, IoT), e co­mo ela vem sen­do em­pre­ga­da nos mais di­ver­sos mo­de­los ou sis­te­mas de se­gu­ran­ça e pro­te­ção.

A Se­gu­ran­ça da In­ter­net das Coi­sas é um con­cei­to ain­da no­vo, po­rém, ca­da dia mais cres­cen­te, prin­ci­pal­men­te no se­tor da se­gu­ran­ça pú­bli­ca e pri­va­da, on­de as li­nhas de pro­du­ção das in­dús­tri­as usam os ro­bôs na fa­bri­ca­ção ou ca­li­bra­ção de seus pro­du­tos, que vão des­de a li­nha de pro­du­ção, pas­san­do pe­la li­nha de mon­ta­gem até a dis­tri­bui­ção e uso por par­te dos con­su­mi­do­res.

Com a in­ter­net das coi­sas, os equi­pa­men­tos e até o mo­do de vi­da das pes­so­as fo­ram al­te­ra­dos. Des­de os me­no­res até os mais com­ple­xos equi­pa­men­tos es­tão sen­do ope­ra­dos pe­la in­ter­net, se­ja de for­ma au­tô­no­ma, con­ti­nu­a­da – ou até pro­gra­ma­dos pre­vi­a­men­te pa­ra fun­cio­na­rem, in­clu­si­ve na área da sa­ú­de hu­ma­na, já que os equi­pa­men­tos hos­pi­ta­la­res já es­tão co­nec­ta­dos em re­des de com­pu­ta­do­res co­nec­ta­dos à in­ter­net, co­mo apa­re­lhos ci­rúr­gi­cos, de afe­ri­ção de pres­são ar­te­rial, de con­tro­le de es­to­que e até de mi­nis­tra­ção de me­di­ca­men­tos.

Co­mo po­de­mos ver, a Se­gu­ran­ça da In­ter­net das Coi­sas é uma re­a­li­da­de em to­dos os se­to­res, o que apre­sen­ta um no­vo de­sa­fio pa­ra os Ges­to­res de Se­gu­ran­ça e mes­mo pa­ra as ins­ti­tu­i­ções que mi­nis­tram cur­sos pa­ra os pro­fis­si­o­nais da área.

Co­mo a Ges­tão de Se­gu­ran­ça se faz na co­nhe­ci­da pi­râ­mi­de de (Pro­ces­sos, Pes­so­as e Ser­vi­ços), den­tro de tais con­cei­tos, a Se­gu­ran­ça da In­ter­net das Coi­sas de­ve es­tar pre­sen­te no am­bi­en­te de tra­ba­lho dos pro­fis­si­o­nais da se­gu­ran­ça, ou se­ja, é pre­ci­so com­pre­en­der o má­xi­mo pos­sí­vel so­bre co­mo ge­rir tais pro­ces­sos que usam a in­ter­net pa­ra fun­cio­nar.

Fa­zer e pro­mo­ver se­gu­ran­ça com a In­ter­net das Coi­sas é um de­sa­fio que de­ve ser su­pe­ra­do. Os pro­fis­si­o­nais de­vem es­tu­dar pro­fun­da­men­te so­bre o te­ma, ha­ja vis­ta que, em um mo­men­to ou ou­tro, ele vai se de­pa­rar com es­sa re­a­li­da­de na ges­tão de se­gu­ran­ça, e, por­tan­to, de­ve co­nhe­cer o prin­ci­pio de seu fun­cio­na­men­to pa­ra emi­tir ou pro­du­zir pa­re­ce­res ou re­la­tó­rios pa­ra sua li­nha de co­man­do su­pe­ri­or den­tro da cor­po­ra­ção em­pre­sa­ri­al.

Na área da tec­no­lo­gia de se­gu­ran­ça, a mai­o­ria dos equi­pa­men­tos ope­ra com ba­se na in­ter­net, co­mo é o ca­so de um sis­te­ma de mo­ni­to­ra­men­to por câ­me­ras, on­de as ima­gens são trans­mi­ti­das em tem­po re­al pa­ra ou­tros dis­po­si­ti­vos, co­mo smartpho­nes, com­pu­ta­do­res e, às ve­zes, até pas­san­do por sa­té­li­tes ge­o­es­ta­cio­ná­rios an­tes de che­gar ao seu des­ti­no fi­nal.

Nos sis­te­mas ele­trô­ni­cos de se­gu­ran­ça re­si­den­ci­al, por exem­plo, os mo­der­nos equi­pa­men­tos de vi­gi­lân­cia es­tão pre­sen­tes, on­de os da­dos e in­for­ma­ções, in­clu­si­ve dos apa­re­lhos do­més­ti­cos -– são trans­mi­ti­dos pa­ra uma pla­ta­for­ma nas nu­vens, po­den­do ser mo­ni­to­ra­dos à dis­tân­cia. O mes­mo prin­ci­pio é tam­bém usa­do pe­las in­dús­tri­as pa­ra o mo­ni­to­ra­men­to con­tra in­va­são, con­tro­le de ma­qui­ná­rios, in­cên­di­os e ou­tros pa­râ­me­tros.

A In­ter­net das Coi­sas não é ape­nas um con­cei­to ou ali­a­do na se­gu­ran­ça pú­bli­ca ou pri­va­da. Ela tam­bém di­ta as re­gras que pou­cos po­de­rão vi­ver sem ela nos pró­xi­mos anos, e ca­be aos pro­fis­si­o­nais da se­gu­ran­ça apro­fun­dar seus co­nhe­ci­men­tos no sen­ti­do de apri­mo­rar su­as téc­ni­cas de abor­da­gem so­bre o te­ma, e co­mo pre­ver e até neu­tra­li­zar pos­sí­veis in­ci­den­tes cau­sa­dos por con­fli­tos ope­ra­ci­o­nais e téc­ni­cos den­tro da In­ter­net das Coi­sas.

 

(Izaí­as Sou­sa: Es­pe­cia­lis­ta em Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca e Cor­po­ra­ti­va izai­as-sou­[email protected])

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais