Opinião

Como ter mais controle da sua vida?

diario da manha

Pa­ra mui­ta gen­te, a pa­la­vra con­tro­le dá de­ses­pe­ro. É co­mum ou­vir­mos afir­ma­ções co­mo “o go­ver­no me con­tro­la” ou “meu che­fe me con­tro­la” e o que se per­ce­be é que al­gu­mas pes­so­as não têm, re­al­men­te, con­tro­le so­bre a sua pró­pria vi­da. Elas en­tram em um mo­do de ope­ra­ção de des­con­tro­le to­tal, no rit­mo da­que­la fa­mo­sa mú­si­ca: “dei­xa a vi­da me le­var”.

O pro­ble­ma acon­te­ce quan­do vai dei­xan­do le­var e, ao che­gar “lá”, per­ce­be que es­tá aon­de não que­ria ir – e fi­ca in­sa­tis­fei­to. É fun­da­men­tal ter­mos o con­tro­le de tu­do: dos nos­sos so­nhos, pro­ble­mas, des­ti­nos, ob­je­ti­vos e de to­da a nos­sa vi­da, afi­nal, é is­so que nos apro­xi­ma dos ob­je­ti­vos. Quem con­tro­la, por exem­plo, a sua pre­gui­ça, con­se­gue ven­cer um pou­co mais a pro­cras­ti­na­ção. Quem con­tro­la a von­ta­de de co­mer do­ce con­se­gue mais su­ces­so na di­e­ta.

Mas en­ga­na-se quem acha que con­tro­le é sim­ples de se con­se­guir. É pre­ci­so ter dis­ci­pli­na cons­tan­te. Vo­cê po­de co­me­çar con­tro­lan­do o seu dia e as ati­vi­da­des de­le. Mui­ta gen­te es­pe­ra as ati­vi­da­des sur­gi­rem, fi­cam per­di­das e co­me­çam a fa­zer o que mais es­tá ge­ran­do pres­são. Em vez de se com­por­tar des­sa ma­nei­ra, en­tre no mo­do de ope­ra­ção “eu con­tro­lo o que vou fa­zer”. E a me­lhor for­ma de ter con­tro­le das su­as ta­re­fas é re­gis­trar tu­do: vo­cê po­de usar uma fer­ra­men­ta, apli­ca­ti­vo, qua­dro bran­co, ce­lu­lar, um softwa­re ou agen­da de pa­pel.

Quan­do vo­cê tem re­gis­tros que te per­mi­tem sa­ber exa­ta­men­te o que pre­ci­sa ser exe­cu­ta­do, sua ca­pa­ci­da­de de con­tro­le so­bre as su­as ope­ra­ções e so­bre a sua pro­du­ti­vi­da­de au­men­ta. Mas é im­por­tan­te con­si­de­rar que is­so não vai acon­te­cer o tem­po to­do. De­se­jar ter o con­tro­le de 100% das nos­sas ações po­de nos dei­xar frus­tra­do quan­do não con­se­guit­mos, mas é pos­sí­vel, sim, con­tro­lar­mos boa par­te do nos­so tem­po.

Uma ro­ti­na com mais con­tro­le e pla­ne­ja­men­to ge­ra li­ber­da­de. Com or­ga­ni­za­ção vo­cê tem mais tem­po li­vre pa­ra es­co­lher as ati­vi­da­des que pra­ti­ca­rá, o que te per­mi­te pre­en­cher o seu dia com mais coi­sas im­por­tan­tes, que te pro­por­ci­o­na­rão ale­gria. É is­so que vo­cê quer? En­tão co­me­ce ho­je a as­su­mir o con­tro­le da sua vi­da. Bus­que sem­pre pla­ne­jar os três pró­xi­mos di­as pa­ra que se­jam o mais pro­du­ti­vos pos­sí­vel. Os re­sul­ta­dos se­rão mui­to po­si­ti­vos.

Acho uma fra­se de Pe­ter Drucker mui­to ba­ca­na: vo­cê não con­se­gue ge­ren­ci­ar aqui­lo que não con­se­gue me­dir. Is­so va­le pa­ra di­nhei­ro, tem­po, re­la­ci­o­na­men­tos e tu­do em nos­sa vi­da. Re­fli­ta: vo­cê per­deu o con­tro­le em al­gum as­pec­to da sua vi­da? As fi­nan­ças? O seu pe­so? O seu tem­po? Quan­do vo­cê iden­ti­fi­ca as coi­sas que es­tão em des­con­tro­le, a sua ca­pa­ci­da­de de en­ten­der al­ter­na­ti­vas pa­ra as­su­mir o con­tro­le da si­tu­a­ção au­men­ta mui­to. Que tal fa­zer uma au­to­a­va­li­a­ção?

 

(Chris­ti­an Bar­bo­sa, mai­or es­pe­cia­lis­ta no Bra­sil em ad­mi­nis­tra­ção de tem­po e pro­du­ti­vi­da­de e CEO da Tri­ad PS, em­pre­sa mul­ti­na­ci­o­nal es­pe­cia­li­za­da em pro­gra­mas e con­sul­to­ria na área de pro­du­ti­vi­da­de, co­la­bo­ra­ção e ad­mi­nis­tra­ção do tem­po)

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais