Opinião

O sentido superior da vitória de Bolsonaro

diario da manha

Meus ami­gos, pa­ra­béns pa­ra vo­cês, pa­ra­béns pa­ra o Bra­sil!

Con­se­guir es­ca­par de meio sé­cu­lo de in­cul­ca­ção do so­ci­a­lis­mo-co­mu­nis­mo na men­te de nos­sa ju­ven­tu­de; meio sé­cu­lo de apa­re­lha­men­to da mí­dia e dos po­de­res da Re­pú­bli­ca, in­clu­si­ve do Ju­di­ci­á­rio; meio sé­cu­lo de apli­ca­ção das li­ções de An­to­nio Gram­sci e da Es­co­la de Frankfurt…

Foi um gran­di­o­so fei­to! Que ele ago­ra te­nha ca­pí­tu­los sub­se­quen­tes de igual ex­pres­são.

Er­ga­mos, nes­te mo­men­to, nos­sa ta­ça num brin­de à par­ce­la pen­san­te de nos­so po­vo e um brin­de es­pe­ci­al às mu­lhe­res bra­si­lei­ras, que fi­nal­men­te en­tra­ram na bri­ga pa­ra va­ler. Er­ga­mos, tam­bém, um brin­de de gra­ti­dão a Deus, que nos per­mi­tiu, até aqui, cor­tar im­por­tan­tes amar­ras co­mu­nis­tas sem con­fir­mar as pa­la­vras do Ge­ne­ral e Pre­si­den­te Jo­ão Ba­tis­ta Fi­guei­re­do, quan­do da cri­a­ção do Par­ti­do dos Tra­ba­lha­do­res, ao afir­mar ue o Bra­sil te­ria de pas­sar por uma guer­ra ci­vil pa­ra se li­vrar do  co­mu­nis­mo. Va­ti­ci­nou que os co­mu­nis­tas um dia  con­quis­ta­ri­am o po­der e só o dei­xa­ri­am à cus­ta do san­gue dos bra­si­lei­ros.

Men­ção tam­bém es­pe­ci­al me­re­cem, nes­te mo­men­to his­tó­ri­co, as re­des so­ci­ais, que di­fun­di­ram en­tre nos­so po­vo o co­nhe­ci­men­to. Foi um gri­to de li­ber­da­de lan­ça­do no ros­to de nos­sa mí­dia, a qual, in­te­gra­da por uma mai­o­ria de es­quer­dis­tas mi­li­tan­tes, se pau­tou nes­tas úl­ti­mas dé­ca­das pe­los pen­sa­men­tos que, par­tin­do da men­te de Karl Marx, vi­e­ram ro­lan­do pe­lo mun­do e es­cre­ven­do uma his­tó­ria per­ver­sa, de­su­ma­na, co­nhe­ci­da de to­dos. Nos­so po­vo não sou­be, nun­ca, por es­sa mí­dia, da exis­tên­cia de um mons­tro que nos es­prei­ta e que se cha­ma Fo­ro de São Pau­lo, cri­a­do por Lu­la e Fi­del Cas­tro, com a as­ses­so­ria es­pe­ci­al do Frei Bet­to. So­men­te uma ou ou­tra voz ho­no­rá­vel, mas sem­pre iso­la­da, to­cou nes­se cru­ci­al as­sun­to du­ran­te vá­ri­as dé­ca­das.

É ca­da vez mai­or o nú­me­ro dos bra­si­lei­ros que en­ten­dem que a lu­ta po­lí­ti­ca que aca­ba­mos de en­fren­tar nes­tas elei­ções não foi ins­pi­ra­da na pai­xão por um no­me ou por um par­ti­do. No fun­do, o que o po­vo bra­si­lei­ro pen­san­te es­te­ve bus­can­do foi ven­cer, fi­nal­men­te, o pri­mei­ro round na lu­ta con­tra o co­mu­nis­mo in­ter­na­ci­o­nal.

O clé­ri­go Pau­lo Ri­car­do, alu­no de Ola­vo de Car­va­lho, diz num ví­deo que, se qui­ser­mos sa­ber o que é mes­mo uma pes­soa, não de­ve­mos nos ater ao que ela fa­la, mas àqui­lo que ela com­ba­te. E o que é que os co­mu­nis­tas do PT, PSDB, PCdoB, PDT, PSOL, etc., com­ba­tem? Mui­tas coi­sas, en­tre elas: Deus, a li­ber­da­de, a fa­mí­lia, a pro­pri­e­da­de pri­va­da e a ló­gi­ca gre­ga apli­ca­da à ava­li­a­ção e com­pre­en­são dos fa­tos eco­nô­mi­cos, po­lí­ti­cos e so­ci­ais. Só va­lem pa­ra eles as idei­as dis­se­mi­na­das en­tre nós por pro­fes­so­res es­quer­dis­tas ins­pi­ra­dos em con­cep­ções de Kant, He­gel, Marx, En­gels, Le­nin, Gram­sci, Horkhei­mer, Ador­no, Mar­cu­se et ca­ter­va.

Eles, os ver­me­lhos, an­dam com as pa­la­vras de­mo­cra­cia² e li­ber­da­de o tem­po to­do nos lá­bi­os, mas não as têm no co­ra­ção. A de­mo­cra­cia so­bre­tu­do uma de­mo­cra­cia dé­bil co­mo a do Bra­sil  cons­ti­tui o ce­ná­rio ide­al pa­ra os co­mu­nis­tas, pois lhes per­mi­te usar e abu­sar da li­ber­da­de até to­ma­rem o po­der, pa­ra, lo­go em se­gui­da, ma­ta­rem es­sa mes­ma de­mo­cra­cia e es­sa mes­ma li­ber­da­de. Per­gun­te-se à His­tó­ria dos po­vos co­mu­ni­za­dos se es­tou de­li­ran­do.

É por is­so que co­mu­nis­ta nun­ca faz opo­si­ção; opo­si­ção é um dos ele­men­tos de uma boa de­mo­cra­cia; o co­mu­nis­ta só sa­be fa­zer “sub­ver­são”. Por is­so gri­ta tan­to. Ele nun­ca se per­gun­ta “o que é bom pa­ra o Bra­sil”, mas sim “o que é bom pa­ra o co­mu­nis­mo con­quis­tar o po­der e des­tru­ir a de­mo­cra­cia”. É a sub­ver­são.

Em 2014, na noi­te em que to­dos so­frí­a­mos pe­la der­ro­ta de Aé­cio Ne­ves pa­ra Dil­ma Rous­seff, pu­bli­quei um tex­to que al­can­çou uma no­tá­vel re­per­cus­são e ro­dou o Bra­sil. Em cer­to tre­cho, eu ma­ni­fes­tei o se­guin­te: Quem sa­be  co­mo pre­viu um re­no­ma­do ci­en­tis­ta po­lí­ti­co eu­ro­peu  se era exa­ta­men­te is­so o que o Bra­sil pre­ci­sa­va com es­ta elei­ção, pa­ra, so­fren­do na car­ne, ama­du­re­cer de vez a sua op­ção por um fu­tu­ro de gran­de­za?

De fa­to, se Aé­cio Ne­ves ti­ves­se ga­nha­do aque­la elei­ção, nós não es­ta­rí­a­mos, ho­je, fi­can­do li­vres de PT e PSDB. Foi ne­ces­sá­rio que obra­si­lei­ro so­fres­se a su­per­mal­di­ção co­mu­nis­ta en­car­na­da em Dil­ma Rous­seff.

E eu dis­se al­go mais na­que­la opor­tu­ni­da­de:

Os es­quer­dis­tas nun­ca con­se­gui­rão fa­zer tri­un­far no Bra­sil o Fo­ro de São Pau­lo, atu­al­men­te o mai­or ini­mi­go das Amé­ri­cas. É que exis­te mui­ta gen­te boa por aqui. Vi­mos is­so ago­ra, co­mo nun­ca tí­nha­mos vis­to! E os so­ci­a­lis­tas no po­der tam­bém vi­ram. Es­ta elei­ção, com a ma­ra­vi­lho­sa aju­da a In­ter­net, uniu mui­to es­sa gen­te es­cla­re­ci­da, cri­ou um blo­co mo­no­lí­ti­co nun­ca dan­tes co­nhe­ci­do, fez vi­brar o es­pí­ri­to de uma par­ce­la se­le­ta de nos­so po­vo, e o Bra­sil, a par­tir de ago­ra, de­fi­ni­ti­va­men­te, não se­rá o mes­mo! Os pró­ce­res do es­quer­dis­mo sa­be­rão mui­to bem quan­tos olhos lú­ci­dos acom­pa­nha­rão, mi­nu­to após mi­nu­to, os atos que emer­gi­rem da cor­rup­ção e da in­com­pe­tên­cia.

Pa­ra­béns, que­ri­do po­vo bra­si­lei­ro!

 

(Dalmy Ga­ma, es­cri­tor, pro­fes­sor, do­cen­te de Lo­go­so­fia)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar