Política & Justiça

Eduardo Cunha afirma que pretende processar Cid Gomes

“Eu prefiro ser acusado por ele (Cunha) de mal-educado do que ser como ele", disse Cid Gomes.

diario da manha

Após declarar que considera ter no Congresso pelo menos “300 a 400 deputados achadores”, Cid Gomes acabou se desentendendo com deputados e com o presidente da Câmara durante reunião que ocorreu para que ele explicasse as afirmações. Gomes deixou a Câmara e pediu demissão do cargo de ministro.

Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos deputados, informou que vai solicitar que o ministro seja processado pela Procuradoria da Câmara. Cunha também sinalizou que pretende processar Gomes de forma individual. “ Não vou admitir que um representante do Executivo agrida parlamentares e reafirme agressões inclusive chegando ao ponto de querer me nominar”, declarou.

Durante a reunião, Gomes criticou Cunha e citou uma matéria jornalística para argumentar. “Eu prefiro ser acusado por ele (Cunha) de mal-educado do que ser como ele, acusado de achaque, que é o que diz a manchete da Folha de S.Paulo”, enfatizou.

Gomes acabou deixando a Câmara após ter sido chamado pelo deputado Sergio Sveiter (PSD-RJ) de “palhaço”. Após a saída do ministro, Cunha anunciou que recebeu um comunicado, apontando, que Gomes está demitido do ministério da Educação.

Após deixar o Congresso, Gomes pediu demissão à presidente, Dilma Rousseff. “O ministro da Educação, Cid Gomes, entregou nesta quarta-feira, 18 de março, seu pedido de demissão à presidenta Dilma Rousseff. Ela agradeceu a dedicação dele à frente da pasta”, informou o Palácio do Planalto por meio de nota.

 

Comentários