Política & Justiça

Mulheres guerreiras

José Vitti Especial para Diário da Manhã

Não poderia deixar de prestar minha homenagem às goianas neste mês de março, todas elas merecedoras de nosso respeito e aplausos. Saúdo as mulheres trabalhadoras, empresárias, profissionais liberais, professoras, enfim, todas elas que dão contribuição ao desenvolvimento econômico e social do Estado de Goiás.
Quero destacar a trajetória de Berenice Teixeira Artiaga, a primeira deputada estadual goiana que, com bravura e destemor, rompeu o preconceito, submeteu seu nome ao crivo popular. Merece o nosso aplauso e o nosso reconhecimento pelo trabalho que realizou na Assembleia Legislativa.
Começo destacando o trabalho das vereadoras goianienses Cristina Lopes, Célia Valadão, Cida Garcêz e Tatiana Lemos, deputadas estaduais Lêda Borges, Isaura Lemos, Adriana Accorsi e Eliane Pinheiro, deputadas federais Magda Mofatto e Flávia Morais e a senadora Lúcia Vânia, todas mulheres e representantes públicas trabalhadoras, guerreiras.
Não poderia deixar de citar as 28 prefeitas que, rompendo a discriminação e o machismo, administram, com eficiência, criatividade e elevado espírito público, as suas cidades em Goiás: Maria Aparecida Macêdo (Aurilândia), Marilda Oliveira (Bom Jesus de Goiás), Cristina Moura (Bonópolis), Maria Aparecida Costa (Buritinópolis), Nadir Paiva (Cabeceiras), Maria Inês Brito (Ceres), Giselle Araújo (Cidade Ocidental), Andreia Depollo (Damianópolis), Selma Bastos (Goiás), Ana Maria Ferreira (Guarinos), Daniela Carneiro (Ipameri), Zélia Oliveira (Itapirapuã), Tatiana Castro (Jussara), Rosana Balestra (Mimoso de Goiás), Suely Cruvinel (Montividiu), Divina Lúcia Almeida (Mossâmedes), Núbia Costa (Mutunópolis), Gleiva Gomes (Nova Crixás), Mírian Leite (Nova Roma), Leila Cesar (Santa Rosa de Goiás), Mariza Costa (Santa Tereza de Goiás), Etélia Gonçalves (São Domingos), Mércia Cesilio (São Luiz de Montes Belos), Adailza Sousa (São Miguel do Araguaia), Dourinha Souza (Sítio D’Abadia), Solange Bertulino (Uruaçu), Lucimar Nascimento (Valparaiso de Goiás) e Juliana Dourado (Varjão). Estendo essa homenagem a todas as mulheres que integram as 246 câmaras municipais de Goiás que, como vereadoras, defendem os interesses da coletividade que representam.
Quero cumprimentar a primeira-dama e presidente da Organização das Voluntárias de Goiás, Valéria Perillo, pelo trabalho que realiza na execução dos programas sociais que atendem aos diversos segmentos da sociedade goiana, com ênfase para o Bolsa Universitária, Centro de Apoio ao Romeiro, Goiás Sem Frio, entre outros.
Presto homenagens também a Fabrina Müller Figuerêdo, esposa do vice-governador José Eliton Júnior, e também a Maria Célia Sousa, esposa do presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, deputado Helio de Sousa.
No desempenho de importantes funções no governo de Goiás, saúdo também as secretárias Lêda Borges (Desenvolvimento Social), Ana Carla Abrão Costa (Fazenda), Raquel Teixeira (Educação), secretária particular do governador, Glória Miranda Coelho, Lamis Cosac, Sônia Chaves, Eliana França Carneiro, Liliane Morais Sá, Helena Almeida Barbosa, Lara Garcia Ferreira, Luzia Dora Silva, Ivânia Fernandes Pessoa, Marlene Alves e Vieira, Valcêmia Novais, Maria Zaira Turchi, Andrea Guedes Vecci, Nancy Ribeiro Araújo e Silva, Ester Galvão Carvalho e tantas outras que, de forma brilhante, prestam seu trabalho aos diversos escalões da administração estadual.
As mulheres têm muito que comemorar, mas também têm muito ainda que lutar, principalmente no que diz respeito ao combate à violência, que aumentou 75% no Brasil. E o pior é que essa violência vem associada ao sentimento de posse que o homem nutre em relação à mulher. O homem não aceita ser rejeitado por uma mulher.
Em nome da minha mãe, Marilda Arruda Vitti, faço questão de enaltecer a luta das mulheres goianas e brasileiras por maior espaço nas atividades empresariais, nos postos-chaves de representação da sociedade, em cargos públicos e classistas.
O Brasil conta hoje com 97 milhões de mulheres, o que corresponde a 51% da população, entretanto, ainda é reduzido o porcentual feminino em cargos públicos e na representatividade dos Parlamentos. Hoje, 40% das famílias são chefiadas por mulheres, quando dez anos atrás eram apenas 25%. É inequívoca a necessidade de se ampliar a participação feminina em todos os espaços da sociedade.
Quero ressaltar as mulheres goianas pelas conquistas nas políticas públicas de saúde, educação, assistência social e segurança alimentar e, ainda, pelo avanço no mercado de trabalho.
Destaco o trabalho do governador Marconi Perillo pelo fortalecimento das políticas públicas em defesa dos direitos da mulher na busca de se reduzir essa diferença que ainda existe entre o gênero masculino e o feminino.
O Dia Internacional da Mulher não nasceu por acaso, mas sim em razão da luta histórica das mulheres, principalmente as operárias, que levantaram a voz reivindicado os direitos fundamentais da sua condição feminina.

(José Vitti, empresário e  líder do governo na Assembleia Legislativa)

Comentários