Política & Justiça

 “Base marconista está coesa”, diz José Vitti

Líder do governo assegura que os 31 deputados da base aliada respaldam as medidas de cortes de despesas, contenção de gastos e ajuste fiscal adotadas por Marconi Perillo (PSDB) e projetos estão sendo aprovados pelo plenário da Casa

diario da manha

 

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado José Vitti (PSDB), afirmou, ontem, que a base do governador Marconi Perillo, formada por 31 dos 41 deputados, está coesa e não se abala com as pressões que ocorrem, vindas da sociedade, neste momento de crise econômica. “Temos na Assembleia Legislativa uma base unida, coesa, idealista e que atua em defesa não dos interesses individuais e sim a favor das questões coletivas, dos assuntos que interessam ao Estado, à sociedade goiana.

José Vitti reconhece que, neste momento em que o País e, consequentemente, o Estado vivem dificuldades econômicas, “as pressões da sociedade aumentam.” Para ele, o Legislativo é exatamente o fórum natural para as manifestações da sociedade, em um ambiente de democracia e liberdade. “Aqui, no Legislativo, recebemos todos os segmentos da sociedade, ouvimos suas reivindicações.”

O líder do governo lembra que as pressões feitas aos deputados da base aliada se referem, principalmente, em relação aos projetos que afetam o funcionalismo público e o ajuste fiscal. “São temas polêmicos e que ocasionam maior pressão junto aos parlamentares. Mas temos priorizado o diálogo com os representantes dos servidores públicos e os deputados governistas compreendem o momento de transição vivido pelo governo Marconi.”

José Vitti ressalta que os deputados da base aliada reconhecem o momento de ajustes administrativo-financeiro porque passa o Estado e estão “solidários” com o governador Marconi Perillo em todas as medidas tomadas, notadamente aquelas voltadas para o corte de despesas e enxugamento de gastos. “Esta fase de dificuldades será superada no segundo semestre e vamos entrar em 2016 em uma nova fase da administração do governo Marconi.”

O líder do governo admite que não é satisfatória para os deputados da situação a defesa de alguns projetos polêmicos, mas indica que a base está ciente da situação delicada do Estado. “Entendemos que a situação é que leva os parlamentares (a isso). Muitos deles estão chegando na Casa, enfrentam momentos de pressão, mas isso é absolutamente normal”, avaliou José Vitti.

Apesar disso, para o líder do governo, a liderança do governador Marconi Perillo (PSDB) tem garantido a confiança na equipe de governo, e a unidade da base aliada permanece. “Não há vontade nem minha e nem de nenhum deputado que está aqui na Casa  – nem novo, nem mais experiente – de votar projetos que, infelizmente, não sejam de acordo com os servidores públicos. Mas a gente entende que o governo está se mobilizando para que todo este momento seja solucionado”, assegurou.

José Vitti diz que o governador Marconi Perillo tem mantido uma média de até quatro audiências com deputados  em Palácio (Pedro Ludovico Teixeira), por semana, e ouvido os seus pleitos. “Há uma perfeita sintonia entre o governador, secretários e os deputados estaduais, o que facilita a liberação de obras para os 246 municípios goianos. O governador é sensível às reivindicações dos deputados, o que tem facilitado o entendimento entre governo e  Assembleia Legislativa.”

 

Oposição

A oposição, representada pelo PMDB, PT e PRP, ocupa a tribuna da Assembleia Legislativa para cobrar compromissos firmados pelo governador Marconi Perillo (PSDB) durante a campanha eleitoral do ano passado. São frequentes, na tribuna, os deputados José Nelto, Adib Elias, Bruno Peixoto e Ernesto Roller, pelo PMDB, Luis Cesar Bueno, pelo PT, e Major Araújo (PRP).

Os oposicionistas aproveitam esta fase de adoção de medidas “impopulares” do governo Marconi – parcelamento de pagamento aos servidores, não quitação da data-base -, além de questões que ocorrem nas áreas de educação, saúde e segurança pública – para aumentar as críticas ao Palácio das Esmeraldas.

Comentários