Política & Justiça

Oposição atua para  eleger prefeitos nas principais cidades goianas

Projeções preliminares mostram favoritismo de candidatos que fazem oposição ao Palácio das Esmeraldas

diario da manha

 

 

 

Depois do sete a um para a Alemanha, a seleção brasileira percebeu que os tempos de glória ficaram no passado. Os tempos bicudos da economia podem ser duros também para o PSDB e outros partidos da base governista. As eleições de 2016 prenunciam uma goleada da oposição nos grandes e médios municípios do Estado.

Na região Sudoeste, nas maiores cidades, os candidatos ligados aos partidos oposicionistas saem à frente. Em Jataí, ancorado em altos índices de aprovação, o prefeito Humberto Machado (PMDB) encaminha o ex-deputado federal Leandro Vilela (PMDB) como seu sucessor. Em Mineiros, o prefeito Agenor Resende (PMDB) segue favorito para reeleger-se e por enquanto tem como virtual adversária a ex-prefeita Neiba Barcelos, que somou 8.184 votos, ficando na suplência para deputada estadual. Mas a médica Dra. Ivane (PT) também está bem colocada, na oposição ao marconismo no município, tendo recebido dos cidadãos mineirenses 7.849 votos para deputada estadual.

Em Rio Verde, a base governista dividiu-se. O prefeito Juraci Martins (PSD) vai mal nas pesquisas de popularidade e, para piorar, perdeu o apoio do deputado federal Heuler Cruvinel (PSD). Ambos estão rompidos. Melhor para Paulo Vale (PMDB), ex-secretário de Saúde do município. Suplente de deputado federal, ele teve mais de 40 mil votos (a maioria em Rio Verde). Outro que se beneficia da divisão entre os situacionistas é o ex-deputado estadual Carlos Kabral (PT), cujos mais de 15 mil votos são majoritariamente rio-verdenses.

Em Quirinópolis há sinais de que o povo está com saudades do ex-prefeito Gilmar Alves (PMDB). A onda de violência que assola a região depreciou a confiança dos cidadãos com o prefeito Odair Resende (DEM). A sensação de insegurança piorou depois do atentado contra o deputado estadual Paulo Cesar Martins (PMDB) – campeão de votos nas eleições para o Legislativo. Gilmar conta com apoio do PT no município e deve ter o palanque acrescido de outras legendas que se opõem a Resende e ao governador Marconi Perillo (PSDB).

Já em Santa Helena, há rumores de que o ex-governador Alcides Rodrigues Filho será lançado candidato de uma frente de partidos que fazem oposição ao governo estadual. Filiado ao PSB, do empresário Vanderlan Cardoso, é provável que busque outra legenda, se confirmar a candidatura. Uma das alternativas será o PRP do deputado estadual Major Araújo.

No Sudeste Goiano, duas estrelas do “tempo novo” estão em queda livre. Em Catalão o prefeito Jardel Sebba (PSDB) amarga rejeição na casa dos 85%. Em Caldas Novas, o prefeito Evandro Magal (PSDB) também está em declínio. A reeleição de ambos é vista como missão quase impossível. Melhor para o deputado estadual Adib Elias (PMDB) e para o empresário Evandro Cruz. Adib garantiu a vitória de Iris Rezende nos dois turnos das eleições para o governo do Estado. Evandro Cruz, que disputou as eleições com Magal em 2012, prepara revanche e já conta com apoio de um leque de legendas que vai do PT ao PPS passando pelo PSB e PPL

No Sul, o prefeito Chico Bala (PTB) pode pendurar as armas. A rejeição está em alta e a reeleição a um tiro de distância. Para piorar o ex-prefeito Zé Gomes (PTB) está inelegível. Em Morrinhos, o prefeito Rogério Troncoso (PTB) pode ter pela frente outro confronto com o jovem empresário Tiago Mendonça (PMDB), que fez boa campanha em 2012 e pode reverter o quadro chegando à vitória em 2016.

Anápolis, a “Manchester Goiana”, acompanha o prefeito João Gomes (PT) trabalhar firme para consolidar sua reeleição. Tendo como principais cabos eleitorais o ex-prefeito Antônio Gomide e o deputado federal Rubens Otoni, ele se beneficia da briga do seu principal adversário, o deputado federal Alexandre Baldy (PSDB), com o governador Marconi Perillo. O parlamentar bate de frente contra as propostas da secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, de reduzir os incentivos fiscais às grandes empresas do Estado. Baldy ameaçou tomar a presidência do PSDB do atual dirigente, Paulinho de Jesus, e atraiu para si a desaprovação de dirigentes e deputados estaduais da legenda, acendendo o sinal amarelo para a Casa Verde.

Em Goiania e em Aparecida de Goiânia, a vantagem para o PMDB é ampla. O ex-prefeito Iris Rezende é tido como favoritíssimo a levar a eleição já no primeiro turno, enquanto a grande aprovação do prefeito Maguito Vilela o credenciam como principal cabo eleitoral. Especula-se que o ex-deputado federal Sandro Mabel será o escolhido para suceder Maguito. Nem romaria parece ser capaz de reverter o desgaste de Jânio Darrot (PSDB). O prefeito de Trindade periga não repetir o mandato, assim como o prefeito Paulinho (DEM), de Hidrolândia.

Com caixa vazio e mais medidas de ajuste, o governo estadual pode não prover o socorro – leia-se obras –, que os prefeitos da base marconista necessitam para reverter os desgastes de suas gestões. A continuar assim, o jogo das urnas promete uma balaiada de votos para os candidatos oposicionistas.

prefeitos

Comentários