Política & Justiça

Rubens Otoni é contra o distritão

Em entrevista ao Clube de Repórteres Políticos, o deputado federal defendeu a urgência em votar o projeto e evitar retrocessos

diario da manha

 

O deputado federal Rubens Otoni (PT) foi entrevistado pelo Clube dos Repórteres Políticos de Goiás ontem na Assembleia Legislativa e disse que é preciso aprimorar o sistema eleitoral vigente e evitar retrocessos. A reforma política, que começou a ser votada ontem na Câmara Federal, foi um dos pontos centrais da entrevista.

O petista, vice-presidente da Comissão Especial que tratou do tema na Câmara Federal, disse que a expectativa com relação à reforma política é de que a Câmara discuta e vote ainda nesta semana o relatório da reforma política.

Rubens Otoni manifestou descontentamento com o presidente Eduardo Cunha (PMDB), por não ter esperado a votação do texto. O petista relatou que foi um trabalho de três meses e que será defendido em Plenário. “Trata-se de um projeto complexo e polêmico, por isso a decisão será no voto.”

Conforme disse o deputado federal, haverá avanço no sistema com a votação e aprovação do projeto da reforma política. Dessa forma, o petista garantiu que poderá diminuir a distância entre representantes e representados, além de trabalhar para que a mulher e a juventude possam ser melhores representados na política.

 

Reeleição

O deputado ainda ponderou que a reeleição poderá acabar com aprovação da coincidência de mandatos, que passarão a ser de cinco anos. Com relação ao financiamento público de campanha, acredita que os parlamentares deverão buscar uma alternativa que atenda a maioria.

Sobre o distritão, o voto majoritário para Estados e municípios, Rubens Otoni disse ser uma novidade que não vem somar para aperfeiçoamento do sistema eleitoral e beneficiaria apenas os candidatos com melhor estrutura econômica, por isso é contrário a essa proposta. O deputado ainda reafirmou que o PT se mantém a favor da lista fechada.

Rubens Otoni ressaltou a parceria dele com o Poder Legislativo estadual para fortalecer a parceria no sentido de contribuir para que a Assembleia Legislativa desempenhe a contento o seu papel constitucional. (Com informações da Alego)

 

Comentários