Política & Justiça

Pizzolato faz greve de fome em penitenciária

O petista já havia tornado pública a intenção de fazer o protesto

diario da manha

Henrique Pizzolato, ex diretor do Banco do Brasil, começou uma greve de fome na cadeia de Modena, na Itália, em protesto a confirmação de sua extradição ao Brasil. Pizzolato foi condenado por envolvimento no mensalão, e foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato.

A partir de segunda-feira, 15, o governo brasileiro já pode providenciar o retorno de Pizzolato. A defesa do ex diretor pretende recorrer e apresentará recurso do Conselho de Estado. O juiz de turno decidirá se analisa ou não o pedido.

Caso a análise for aceita, a extradição poderá ser suspensa mais uma vez ou Pizzolato pode ser mandado de volta ao Brasil enquanto espera o julgamento. O governo brasileiro tem um prazo de 20 dias para organizar a retirada do petista do país.

Comentários