Política & Justiça

“A burocracia não pode travar a prosperidade”

diario da manha

“Igual aos vereadores, eu também sou um parlamentar. E nós, enquanto legisladores, temos de ser obstáculo na vida da burocracia desnecessária, temos de impedir a burocracia que não deixa o desenvolvimento chegar à cidade.” Essas palavras são do senador goiano Wilder Morais (DEM), em relação à CEI das Pastas Vazias, que acontece na Câmara Municipal de Goiânia e está investigando a aprovação de projetos para construção de empreendimentos imobiliários residenciais para aproveitar a vigência da lei do Plano de Diretor de Goiânia, cuja expiração ocorreria em 19 de outubro de 2007. Ainda sobre a “burocracia”, o parlamentar diz que “o custo Brasil possui três vilões, e um deles é a burocracia, e os demais são a nossa elevada carga tributária e a carência de infraestrutura”. Wilder entende a necessidade da burocracia para o bom andamento da organização, mas “quando excede na rigidez e no excesso de formalismo, ela desorganiza e os resultados buscados são travados”.

Wilder, que é um dos donos do Grupo Orca, ressalta que sua empresa tem expertise na área de construção, mas não em burocracia excessiva. “Nossa empresa constrói um Carrefour num prazo de 100 dias enquanto a autorização para a construção de uma obra assim demanda um tempo muito maior”, observa ele, enfatizando que “isso é um fato ruim para o desenvolvimento da cidade, pois o prédio em funcionamento, seja ele residencial ou comercial, promove arrecadação para os setores públicos, gera empregos na construção dele e também para mantê-lo em funcionamento”.

Wilder salienta que o próprio presidente da CEI, vereador Elias Vaz, disse que o projeto do Grupo Orca ficou parado por três anos. “Isso é tempo demais, e projetos dessa natureza demandam custos altos”, salienta, destacando que tudo em sua empresa é feito dentro das regras da lei. O senador elogia o trabalho dos parlamentares componentes da CEI e diz que ação deles “é de grande importância, pois são representantes do povo, e o povo merece uma cidade próspera, ordeira, com mobilidade urbana, em harmonia com o meio ambiente”. Mas Wilder também diz que as empresas merecem uma atenção especial dos parlamentares, visto que “elas são geradoras de empregos, de impostos: aspectos essenciais na geração de prosperidade”.

Segundo ele, é interessante o assunto vir à baila, pois serve de alerta para que as leis pertinentes à concessão de alvarás para edificação sejam modificadas, de modo a tornar mais célere para as empresas a permissão. “A demora do nosso alvará foi tão longa, que acabamos não construindo nenhum  empreendimento”, ressalta Wilder, observando que os empreendimentos têm o seu momento ideal de realização dentro do mercado imobiliário”. Ele também observa que a nova lei sobre edificação é mais útil para as empresas por permitir uma utilização maior do terreno em área construída.

Comentários

Mais de Política & Justiça