Política & Justiça

O líder que une Goiás e Brasília

diario da manha

Walter Brito,Especial para Política

O ex-governador Joaquim Roriz recebeu o título de cidadão honorário de Brasília recentemente, no auditório do Monumento JK no DF. Naquela oportunidade, quatro mil pessoas foram abraçá-lo e agradeceram o homem que, junto com Juscelino Kubitschek de Oliveira, transformou Brasília em realidade.

Roriz humanizou a capital de todos os brasileiros, permitindo que cada um que acreditou no sonho de JK e veio ajudar na construção, tivesse também um lugar para morar.

O líder de origem goiana construiu 7 cidades ao redor do Plano Piloto, criado por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. “Ajudei os trabalhadores que vieram para cá acreditando no sonho de Dom Bosco, que aqui jorraria pão e mel”, disse Roriz a esse repórter, por ocasião do evento que o homenageou com o título de cidadão honorário de Brasília.

Vale lembrar que foram inúmeras tentativas de inviabilizar a instalação da capital brasileira no Centro do País. Roriz ajudou JK efetivamente a consolidar Brasília como capital do Brasil. Talvez por isso, o choro de tanta gente ao ver o velho guerreiro da política candanga numa cadeira de rodas sendo homenageado pelo parlamento brasiliense, sob a batuta de sua filha Liliane Roriz, a vice-presidenta da Câmara Legislativa do DF, que conduziu os trabalhos na ocasião.

Entre os que choraram de emoção estava Adolfo Lopes, seu ex-secretário de Estado. O pai de Adolfo foi da segurança de Juscelino Kubitschek e veio de Minas para Brasília, acompanhando o pé de valsa que fez história no Planalto Central.

JK sonhava com o desenvolvimento do Centro-Oeste e acreditava que, por meio das fronteiras do Entorno de Brasília, o País cresceria com maior segurança. Por isso ele construiu em Luziânia, terra de Roriz, a sua eterna Fazendinha JK.

Fazendo o mesmo que JK, que se mudou para o Entorno quando aposentou, Adolfo Lopes, após sua aposentadoria no serviço público como auditor fiscal da Secretaria de Fazenda do DF, migrou para a cidade de Valparaíso-GO, onde já foi vice-prefeito.

Adolfo Lopes recebe apoio do casal Iris/Iris para campanha em 2016
Adolfo Lopes recebe apoio do casal Iris/Iris para campanha em 2016

Pesquisa

Pré-candidato a prefeito daquele município pelo PMDB de Iris Rezende, Adolfo já está empatado tecnicamente com o primeiro colocado nas pesquisas, o vereador Pabio Mossoró (PSDB), candidato da ex-prefeita Lêda Borges.

De acordo com o Instituto Directa/Cristal Pesquisas, que ouviu 502 eleitores entre os dias 13 e 14 de agosto em todos os bairros e centro da cidade, detectou que Pabio tem 16,60% de intenção de votos para prefeito, Adolfo Lopes pontuou com 14,20%, enquanto que a atual prefeita, a professora Lucimar obteve 12,60%. Cinthia Borges obteve 6,20% e o esposo da ex-prefeita Lêda Borges, Francisco Carvalho pontuou com 1,90%. Não responderam 16,90% e nulos e brancos 31,60% . O índice de credibilidade da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 2,50% para mais ou para menos.

Na pergunta espontânea, o resultado foi o seguinte: Lêda Borges 25,30%; Afrânio 14,50%; professora Lucimar (PT) 6,80%; Adolfo Lopes (PMDB) 5,30%; Pabio Mossoró (PSDB) 1,90%; Nulos e brancos 7.60% e não sabem 28,40%.

A pesquisa perguntou aos eleitores entrevistados, qual a liderança que mais influencia os pré-candidatos para a Prefeitura de Valparaíso e o resultado foi o seguinte: Roriz 20,40%; Marconi Perillo 18,50; Iris Rezende 10,70%; Rollemberg 6,80%; Agnelo Queiroz 0%; 33% não responderam e 10% de nulos e brancos.

Vale ressaltar que o Instituto Directa foi a única empresa de pesquisas que acertou a última eleição em Goiás, quando Marconi Perillo venceu o pleito. Os números do Instituto Directa foram os que mais se aproximaram do resultado, tanto no primeiro como no segundo turno, o que pode ser conferido em publicação do Diário da Manhã.

 

Emocionado

Ouvido pela reportagem, Adolfo Lopes disse: “Estou emocionado com o apoio do povo honrado e trabalhador de Valparaíso, que não perde a esperança de dias melhores. Infelizmente a saúde pública de Valparaíso está na UTI, a violência campeia solta e os buracos no asfalto acabam com os nosso veículos e causam acidentes o tempo todo. Estou pronto para continuar ajudando a cidade. Caso eu seja aprovado na convenção de meu PMDB, o mesmo partido de meu ídolo na política, o ex-governador Iris Rezende, irei para as ruas divulgar o meu programa de governo que já está quase pronto.

Disse Adolfo Lopes: “Quero ajudar a mudar a história de nossa juventude, que não tem uma Vila Olímpica para a prática do esporte. A geração de emprego e renda será prioridade em meu programa de governo, ao lado de uma saúde de qualidade, com médicos especialistas, equipamentos de primeira geração no hospital e remédio para os carentes. O bom relacionamento que tenho em Brasília, onde fui secretário de Estado no governo Roriz, certamente facilitará a busca de recursos para transformar o Céu azul para melhor, como também a Vila Guarani e demais bairros de nossa cidade, abandonados pelo poder público municipal.”

E prossegue o pré-candidato do PMDB: “Brevemente teremos em Valparaíso 200 mil habitantes. Por isso, faz-se necessário a implantação de uma faculdade municipal. Lutarei para trazer uma extensão da UnB para favorecer a juventude de Valparaíso. Os quatro cursos superiores que cursei, me permitem ter uma visão ampla da economia, do direito, do cidadão e cidadã e suas necessidades. Sou amigo de Joaquim Roriz, de sua herdeira política Liliane Roriz e do ex-governador de Goiás Iris Rezende.

O ex-vice-prefeito completa: “Todos eles já me prometeram apoio total na campanha e na administração. Governar é eleger prioridades. Entendo que é importante saber escolher uma boa assessoria, pela competência de cada um e o compromisso com nosso município. Se eu for candidato e me eleger prefeito, escolherei um secretariado à altura do povo de Valparaíso. Farei isso, ao lado dos companheiros e companheiras dos partidos que caminharão comigo. Avante Valparaíso”, concluiu.

Comentários