Política & Justiça

“Os jovens precisam se preocupar com a crise política no País”

diario da manha

Com apenas 23 anos, a acadêmica do curso de Geografia da Universidade Federal (UFG) Déborah Evellyn já carrega a experiência de disputar uma eleição. A jovem, filiada ao PCdoB, foi candidata a deputada estadual por Goiás nas eleições de 2014 com um discurso voltado para as novas práticas políticas e pelo engajamento dos jovens. Em visita ao Diário da Manhã, a jovem, que é natural de Mineiros, afirma que o primeiro contato com os movimentos sociais foi por meio do Centro Acadêmico de Geografia e, posteriormente, fez parte do Diretório Central dos Estudantes da UFG.

Ligada à política, Déborah Evellyn ocupou a vice-presidência da União da Juventude Socialista (UJS). Questionada sobre o que leva ao engajamento com a política. ela afirma que esse é o caminho para a busca das transformações sociais.

A socialista acredita nos movimentos sociais como meio de intervir na política institucional e para que se possa construir políticas públicas contra as desigualdades e diferenças sociais. Ao disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, a acadêmica salienta que a experiência é válida e uma forma de estimular os jovens a participarem da política. “Desde junho de 2013 que essa vontade dos jovens de mudar a política está mais explícita. Tenho visto que a juventude tem falado mais em política e quer reivindicar mais”.

Sobre uma possível candidatura a vereadora de Goiânia nas eleições de 2016, Deborah Evellyn diz que ainda é cedo definir algo que é construído dentro do partido. “Meu interesse, sem dúvida nenhuma, é atuar politicamente para contribuir com Goiânia”. Indagada sobre a participação dos jovens na política fora dos movimentos sociais, a socialista afirma que a juventude é diversa e que existem várias formas de se organizar. Nas últimas eleições, ela foi considerada a musa e questionada sobre a influência desse título, Déborah Evellyn pondera que não se faz política com rosto bonito, mas com ideias. “Esse não é meu foco, mas que eu mostre as ideias”.

Déborah Evellyn ressalta a importância dos jovens se organizarem diante do momento de crise tanto política quanto econômica no País. “Os movimentos sociais sempre defenderam a democracia. Isso é uma convocação para que os jovens se preocupem com a situação e da importância em aprofundar a democracia”.

Comentários