Política & Justiça

Embaixador discute oportunidades de investimentos em Goiás

diario da manha
Mohmmed Rahman, Haroldo Naves e Gilmar Mendes: investimentos(FOTO:DIVULGAÇÃO)

Com o auditório lotado de ges­tores municipais, e a classe aca­dêmica da capital, o Embaixador de Bangladesh no Brasil, Mohm­med Zulfiqar Rahman, apresen­tou oportunidades, ontem, na sede da Federação Goiana de Mu­nicípios (FGM), mostrou as poten­cialidades do país e deixou aberta a chance de estreitar relações com o nosso Estado a todos.

O trabalho da FGM com a área internacional tem sido de mos­trar aos municípios as possibili­dades de entrarem no mercado internacional criando novas opor­tunidades e potencialidades e de apresentar também aos embaixa­dores que visitam a entidade que no nosso Estado há uma cadeia imensa de investimentos.

O presidente Haroldo Naves, ponderou sobre o trabalho da en­tidade que tem sido de ampliar as relações com o mercado interna­cional. “Queremos melhorar o nosso comércio com o mundo, consolidar oportunidades aos municípios goianos, estreitar a ligação com países que querem investir em Goiás, como Bangla­desh. As nossas potencialidades são imensas, sempre cito o caso do meu município que é o poten­cial mineral com as esmeraldas. Mas temos várias outras como na área de agropecuária, turis­mo, cultura, artesanato, indústria e várias outras” finaliza.

AMBIÇÕES

A FGM quer incitar as ambi­ções dos gestores de internacio­nalizar seu município e criar no­vas oportunidades. E a vinda do Embaixador de Bangladesh no Brasil, Mohmmed Zulfiqar Rah­man, foi para mostrar um pouco das oportunidades de parcerias comerciais com país.

Segundo o embaixador, “Que­remos conhecer as potencialida­des e oportunidades do Brasil e mostrar as nossas. Nosso objetivo é aumentar os investimentos no país em especial em Goiás, os dois têm muito a oferecer um ao outro. Quanto mais nos aproximarmos e conhecermos o que os municí­pios goianos podem oferecer, mais oportunidades de investimentos poderão ser concretizadas, esta­belecer uma relação bilateral de comércio” conclui o embaixador.

 

Comentários