Política & Justiça

Jornalista disputa eleição à Assembleia

diario da manha
Luiz Cláudio: debate sobre propostas de alcance social(FOTO:DIVULGAÇÃO)

O membro da Executiva do Sindicato dos Jornalistas Profis­sionais do Estado de Goiás [Sind­Jor], Luiz Cláudio, anuncia, hoje, a sua pré-candidatura à Assembleia Legislativa. De linhagem socialis­ta & democrática, o sindicalista é membro do Partido Socialismo e Liberdade. O Psol é uma dissi­dência à esquerda do PT. A sigla nasceu em 2004. Funcionário da Agência Brasil Central, a antiga Agecom, a sua plataforma, repu­blicana, em defesa da ética na Po­lítica, contra a corrupção, ataca a concepção patrimonialista de Es­tado, o Estado Mínimo e as refor­mas ultraliberais aprovadas pelo Congresso Nacional e sanciona­das por Michel Meter [MDB-SP].

– Como o Pacote de Conces­sões e Privatizações, o Projeto de Terceirização, a entrega do Pré­-Sal ao capital externo, as refor­mas Trabalhista, do Ensino Mé­dio e a anunciada da Previdência

Animado, ele defende o proje­to político e eleitoral do sociólogo e pós-graduado em Psicanálise, Guilherme Boulos, líder do MTST [Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Teto], à Presidência da República. Com Sônia Guajaja­ra, de vice. Os dois foram homolo­gados em convenção nacional da legenda de esquerda. O Psol fará aliança com o PCB [Partido Co­munista Brasileiro]. Com uma pla­taforma republicana, contra a con­ciliação de classes, de denúncia do golpe frio, líquido, parlamen­tar, com o suporte dos aparatos policial e jurídico do Estado, além da narrativa falsa construída pe­los grandes conglomerados de co­municação.

– A prisão de Luiz Inácio Lula da Silva é ilegal. Sem provas ro­bustas. Baseadas em convicções.

Luiz Cláudio defende, hoje, o fim da propriedade cruzada dos meios de comunicação. Para im­pedir a formação de monopólios de mídias, explica. Assim como garantir a livre concorrência, a pluralidade de coberturas jorna­lísticas e o impedimento da for­mação do pensamento único pró­-Deus Mercado e satanização do Estado e das políticas públicas de esquerda, recomenda. O ativista gauche insiste na reforma agrária, para democratizar o acesso à ter­ra, ataca o congelamento dos gas­tos públicos por 20 anos e apoia os direitos do servidor público.

– O foco de minha campanha é o servidor público. Da União, do Estado de Goiás e dos 246 municí­pios goianos.

Pela realização de concursos públicos, reajustes salarias reais, cumprimento da data-base do funcionalismo, contra a privati­zação da Celg e a transformação da ABC em empresa, discursa o líder da categoria em Goiás. Ca­sado, pai de uma criança, é fun­cionário público concursado e informa que o Psol lançará o pro­fessor e evangélico Weslei Garcia ao Palácio das Esmeraldas. O po­licial rodoviário federal, especia­lista em Direitos Humanos e gay ao Senado da República, Fabrício Rosa, com bandeiras identitárias. Luiz Cláudio é o puxador de vo­tos da chapa vermelha

– O mandato será democrático, popular e à esquerda!

 

Comentários

Mais de Política & Justiça