Política & Justiça

Inventivo, cult, multifacetado

diario da manha
  •  Graduado, mestre e doutor em Agronomia, titular da cadeira nº 6 do IHGG, Nilson Jaime ouvia, em Palmeiras, a Hora do Angelus e colecionava seus artigos
  • Deputada estadual e presidente do PCdoB, em Goiás, Isaura Lemos diz que jornalismo perde, as letras choram e o Estado lamenta partida do repórter
  • Ex-presidente da Assembleia e do TCE, o escritor e advogado Eurico Barbosa confidencia ter iniciado a sua carreira no jornalismo ao lado do ‘periodista’
  • Vítima de câncer nos rins, doença que lutava há 10 anos, morreu, dia 13, em Goiânia, aos 81 anos de idade, o jornalista, radialista e escritor

 

Cult. Inventivo. Multifaceta­do. Versátil. Jornalista com passagens por múltiplos veículos. Registro: de suportes di­ferenciados. Radialista. Escritor, autor de ‘A Imprensa Amordaça­da’, que aborda a histórica censu­ra sob a ditadura civil e militar. No Brasil e em Goiás [1964-1985]. Um elaborador de discursos memorá­veis. De linhagem espírita. Assim era Jávier Godinho.

Vítima de câncer nos rins, doen­ça que lutava há 10 anos, morreu, dia 13, em Goiânia, aos 81 anos de idade, o jornalista, radialista e escri­tor Jávier Godinho. Homem das le­tras, de religião espírita, ele era ca­sado com Estela Rincón Godinho. Com quatro filhos. Iuri Godinho, jornalista e escritor. Áulus Godinho, radialista. Além de Bertran Godi­nho. Assim como Ivana Godinho.

Nascido na Cidade de Goiás, pa­trimônio histórico e cultural da hu­manidade, era graduado em Direi­to. Apesar disso, fez a opção pelo jornalismo. Atingido pelo golpe de Estado civil e militar de 1964, que depôs o nacional-estatista, João Bel­chior Marques Goulart, chegou a ser preso. Com passagem por con­glomerados de comunicação, o ‘pe­riodista’ ainda produzia discursos.

A deputada estadual e presiden­te do PC do B, em Goiás, Isaura Le­mos, diz que o jornalismo perde, as letras choram e Goiás lamenta a partida do ex-repórter de O Diá­rio do Oeste, O Popular, Cinco de Março, Diário da Manhã, da R á d i o Anhangue­ra, autor de li­vro que aborda a censura à imprensa à época da ditadura civil e militar no Brasil [1964- 1985]. Lamentável, conta

HISTÓRIA

Vereadora, no exercício do segun­do mandato, Ta­tiana Lemos [PC do B], graduada em Comércio Exterior, afirma que o redator deixa a vida para entrar na Histó­ria. Um defensor das liberdades, resume. Da de­mocracia, explica. Um homem de sólida cultura humanista, for­mação enciclopédica e leitor vo­raz, com um texto refinado, para o leitor degustar, informa.

Anistiado político, ele sofreu a mão pesada dos 21 anos de arbí­trio no Brasil, relata o ex-vereador e atual secretário de Formação Polí­tica do Partido Comunista do Bra­sil, a legenda da foice e do martelo, Euler Ivo Vieira. Um dia triste, do mês de setembro de 2018, para o Brasil, o Centro-Oeste, o Estado de Goiás e para Goiânia, com a sua le­gião de leitores, avalia.

Graduado, mestre e doutor em Agronomia, titular da cadeira nº 6 do Instituto Histórico e Geo-gráfico de Goiás, Nilson Jaime, autor da cul­tuada biografia de Frederico Jayme, ex-presidente da Assembleia Legis­lativa e do Tribunal de Contas, atual secretário de Estado de Governo, lembra que ouvia, em Palmeiras, a Hora do Angelus e colecionava seus artigos nos jornais de Goiás

LETRAS

Ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e ex-presidente do Tribunal de Con­tas do Estado, o escritor, advogado, homem das letras, Eurico Barbosa confidencia ter iniciado a sua car­reira no jornalismo ao lado de Já­vier Godinho. Culto, ético, de ideias progressistas, que o credenciam como um dos maiores jornalistas da história de Goiás, diz.

Jornalista, advogado, Valterli Guedes lamenta a partida precoce do jornalista e escritor. Um homem de vanguarda, destaca. Além do seu tempo, fuzila. Ilustrado, defende. A sua verve e sua práxis, de vida, dei­xarão marcas indeléveis na história da comunicação social, das letras, do ecumenismo, em Goiás, acre­dita. Trágica a sua luta incansável contra o câncer, observa ele.

Engenheiro agrônomo, ex-pre­feito de Goiatuba, Hermes Traldi admite que Jávier Godinho deixa um legado às gerações futuras. Não apenas ao Tempo Presente, explica. Uma figura pública com os ideais do renascimento, temperados com a cultura do Iluminismo, as bandei­ras de Igualdade, Liberdade e Fra­ternidade e os conceitos fundados pelo Espiritismo, metralha.

HUMANISMO

Procurador do Esta­do, escritor, músico, cantor e composi­tor, Francisco Kleber Paulo Paes Landim, filho do juiz de direi­to Humberto Paes Landim, con­ta que Jávier Godinho possuía um texto conciso e marcado pela obje­tividade. Humanista, registra. Com respeito pela diversidade, pontua. Tolerante, insiste. Talento raro, fri­sa. De cultura enciclopédica, atira.

Graduada em Pedagogia, mes­tre em Ciências da Educação, com doutorado, em Educação, em Por­tugal, Velho Mundo, a professora Jacqueline Bezerra Cunha recor­da-se de sua produção jornalística, nos suportes impresso e eletrôni­co, elogia a sua produção e revela a sua relação histórica com o seu tio Fernando Cunha, deputado fede­ral da ‘Ala dos Autênticos do MDB’.

Magda Borges, candidata do PCB, o Partido Comunista Brasi­leiro, legenda fundada em 25 de março de 1922, em Niterói, Rio de Janeiro, como a seção brasileira do Komintern, a Terceira Internacio­nal, central mundial da revolução, vê uma trágica perda para o jorna­lismo. Um jornalista progressista, define-o. Em tempos sombrios de pós-verdade e de Fake News, frisa.

NOITE LONGA

Deputado estadual do PDT [Par­tido Democrático Trabalhista], le­genda de Ciro Gomes, Karlos Ca­bral lamenta a morte do ‘periodista’. Uma noite triste e longa, avisa. A sua luta pela vida comoveu Goiás, infor­ma. Com passagens de elevado des­taque pelos veículos de comunica­ção: Rádio Anhanguera, O Globo, Popular, TV Anhanguera, Cinco de Março, Diário da Manhã, frisa.

A odontóloga, perita do Ministé­rio da Saúde, Governo Federal, ex­-vice-presidente do Tortura Nunca Mais, seção de Goiás, Honorina Ma­ria Dias Batista, também chora a sua partida. Um personagem de espiri­tualidade elevada, alma leve, jorna­lista com décadas de produção de textos para a Hora do Ângelus, vei­culada na TV Anhan¬guera, afilia­da da TV Globo, dispara.

– É autor de ‘A Imprensa Amor­daçada’.

Renato Dias, 51 anos de ida­de, graduado em Ciências Sociais, pela Universidade Federal de Goiás. Mais: pós-graduado em Políticas Públicas, pela mesma instituição de ensino superior, a UFG. Em tempo: com curso de Gestão da Qualidade, pela Fieg, Sebrae-GO e CNI. Além de jornalista pela Faculdade Alves de Faria, a Alfa. O repórter especial do jornal Diário da Manhã e co­laborador do www.brasil247.com é também mestre em Direito, Rela­ções Internacionais e Desenvolvi­mento pela Pontifícia Universidade Católica, a PUC de Goiás. É au­tor de 13 livros-reportagem, premiado por obras in­vestigativas e repor­tagens de direitos humanos.

 

 

 Jávier Godinho manteve relação histórica com Fernando Cunha, deputado federal da Ala dos Autênticos do MDB

Jacqueline Cunha, doutora em Educação

 

Uma figura pública com os ideais do renascimento, temperados com a cultura do Iluminismo

Hermes Traldi, engenheiro agrônomo

 

Humanista. Com respeito pela diversidade. Tolerante. Talento raro

Francisco Kleber Paulo Paes Landim, procurador do Estado

 

O jornalismo perde, as letras choram e Goiás lamenta a partida

Isaura Lemos,deputada estadual

 

Um homem de vanguarda. Além do seu tempo

Valterli Guedes, jornalista e advogado

 

Um homem de sólida cultura humanista, formação enciclopédica e com um texto refinado

Tatiana Lemos, vereadora

 

Ouvia, em Palmeiras, a Hora do Angelus e colecionava seus artigos nos jornais de Goiás

Nilson Jaime, escritor

 

‘Um dos maiores jornalistas da história de Goiás

Eurico Barbosa, ex-presidente da AL e do TCE

 

Anistiado político, ele sofreu a mão pesada dos 21 anos de arbítrio no Brasil

Euler Ivo Vieira, ex-vereador

CRONOLOGIA

 

Um personagem de espiritualidade elevada, alma leve

Honorina Maria Dias Batista, odontóloga, ex-vice do Tortura Nunca Mais

 

Trágica perda para o jornalismo

Magda Borges, professora e líder do PCB

 

 

CRONOLOGIA

1952 Início da carreira

1964 Atingido pelo golpe

1984 Na campanha das Diretas

1999 Elabora discursos à Casa Verde

82 Anos. Morre o periodista

4 Filhos teve o escritor

10 Anos de luta contra câncer

 

 

Comentários