Política & Justiça

“É hora de cortar os privilégios em todos os poderes”

diario da manha

José Nelto chega à Câmara Federal com a experiência de quem teve três mandatos na Câmara de Goiânia e cinco na Assembleia Legislativa e garan­te que não vai decepcionar os seus eleitores. Ele diz que o re­cado dado pelas urnas foi claro: o povo quer mudança na poli­tica, nos polítiicos e nos Três Poderes. É com este sentimen­to que ele vai propor a redução dos repasses de dinheiro (duo­décimos) para o Congresso Na­cional, assembleias e câmaras municipais. Mais: defende a redução do número de depu­tados federais, estaduais, ve­readores e o fim da reeleição.

“Serei um deputado que não aceita e não vai aceitar privilégios, é hora de cortar privilégios no Brasil. Serei um deputado que vai defender a Constituição Brasileira, mas entendo que também é hora de mudar, de reformar os pode­res, serei, porrtanto, um deputa­do reformista, declara.

De acordo com José Nelto, é preciso votar a Reforma Politica, acabar com a reeleição, votar a re­forma da Previdência, igualando todos, não aceitando privilégios de nenhum dos Três Poderes. “Che­gou a hora de tratar o Brasil com seriedade, de tratar melhor a classe mais pobre, esta classe que preci­sa de uma atenção. É hora de dimi­nuir a desigualdade social”, define.

Combater os juros altos e criar empregos é outra preocupação do novo parlamentar. “Vou ser um deputado que vai enfrentar os banqueiros, para que venham para o Brasil centenas ou milhares de bancos, dar a possibilidade de abrir banco virtual, cooperativas de crédito para baixar os juros. O Brasil é um país onde temos os ju­ros mais caros do planeta, é hora de ter concorrência no setor ban­cário”, defende.

Na área de Educação, propõe a criação do Fundo Soberano da Educação. Sua idéia é que isto seja feito a partir da taxação dos que tem renda mais alta, o cha­mado 1% mais rico da socieda­de. “Quem ganha mais vai ter que pagar mais para que a gente pos­sa ter distribuição de renda, esco­la em tempo integral e professores ganhando salários dignos, de dez a quinze mil reais, par que pos­sam ensinar de verdade. Só as­sim o Brasil vai mudar”, aposta.

Na avaliação de José Nel­to, chegou a hora de ter a reforma do poder Ju­diciário e a reforma dos presídios do Brasil. “Não po­demos mais acei­tar bolsa bandido e não podemos brincar com a violência no Brasil. Vou votar para endurecer as leis penais, baixar a maioridade de 18 para 16 anos, para que o jo­vem possa ser responsabiliza­do pelos seus atos, mas também para que tenha a oportunida­de de tirar a carteira de habili­tação e abrir o próprio negócio”, frisa. Nelto considera que é pre­ciso incentivar o empreendedo­rismo dos mais jovens para que tenham direito a linhas de cré­dito, treinamento e se engajem também no mercado de traba­lho, gerando renda e ajudando a sua família. “O jovem precisa ter responsabilidade seja na sua vida cidadã, profissional, com a famí­lia e com o pais”, resume.

Enfático, José Nelto garante que vai representar bem o estado de Goiás, sendo um deputado au­têntico, verdadeiro, honesto, que não vai prevaricar,não vai mentir. “Um deputado que vai combater a corrupção, esta erva daninha”, proclama. “Chegou o momento de repensar o Brasil. Não tem mais como o Brasil continuar neste cus­to muito caro e a sociedade não ter retorno. Não serei corporativista, serei um deputado que irei pen­sar no povo brasileiro, no povo goiano, para tirar do sofrimen­to este povo que não tem edu­cação, não tem saúde, nem se­gurança pública”, afirma.

Na avaliação do deputa­do eleito, o povo não concor­da mais com corporativismo no Legislativo, no Executivo e nem no Judiciário. Todos os poderes,na sua opinião, tem que abrir mão de privilégios para dar uma resposta ao cla­mor do povo expresso nas ruas. “O povo não é bobo, vai acom­panhar o trabalho dos políti­cos, dos juízes, dos promotores, dos prefeitos, governadores e do presidente. O povo quer efi­ciência, transparência e hones­tidade, é por isto que anuncio em primeira mão que todas as minhas emendas parlamenta­res impositivas serão tornadas públicas. Vou mandar uma có­pia para a Policia Federal, para o Ministério Público Federal e para o TCU, e vou apresentar um projeto de lei neste senti­do. Chegou a hora de por fim à corrupção no Brasil. Quem não entendeu o recado das ur­nas, que transformou a corrup­ção em crime hediondo é por­que não quer mudar o Brasil. Eu quero trabalhar para mudar o Brasil”, conclui.

 

Vou ser um deputado que vai enfrentar os banqueirosdar a possibilidade de abrir banco virtual, cooperativas de crédito para baixar os juros”

tags:

Comentários