Política & Justiça

MPF faz nova denúncia contra Wesley Batista

diario da manha

O empresário Wesley Batista foi alvo de mais uma denuncia do Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP). Nesta segunda vez, o empresário foi denunciado pelo crime de insider trading, que é o uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro. A denúncia foi protocolada na Justiça Federal nesta terça-feira (07/05).

De acordo com MPF, Wesley, como gestor da Seara Alimentos e Eldorado Celulose, comandou operações de câmbio das empresas em maio de 2017, quando o acordo de delação premiada que ele e o irmão Joesley Batista firmaram com a Procuradoria Geral da República (PGR) e executivos do grupo J&F ainda estava sob sigilo.

Após a divulgação do teor das colaborações, o dólar teve alta expressiva, o que rendeu ao empresário quase R$ 70 milhões a partir dos contratos de dólar negociados dias antes, afirma o Ministério Público. Além disso, relatórios periciais da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da PGR demonstraram transações atípicas realizadas pelo grupo.

A segunda denúncia do MPF se baseia no artigo 27-D da Lei 6.385/1976, que prevê, em caso de condenação, pena de 1 a 5 anos de reclusão, além de multa de até três vezes o valor da vantagem ilícita obtida com o crime.

Essa lei define a prática do insider trading como “utilizar informação relevante de que tenha conhecimento, ainda não divulgada ao mercado, que seja capaz de propiciar, para si ou para outrem, vantagem indevida, mediante negociação, em nome próprio ou de terceiros, de valores mobiliários”.

Comentários

Mais de Política & Justiça