Saúde

Secretaria de Saúde de Goiânia elabora Plano de Contingência para prevenção contra Sarampo

São 8 casos notificados da doença porém, 6 foram descartados e 2 estão em investigação na Capital, com 1 caso com forte suspeita de confirmação

diario da manha
Foto: reprodução

Um plano de contingência para prevenção de Sarampo foi apresentado pela Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), na manhã desta sexta-feira, 09. De acordo com a diretoria de Vigilância em Saúde, o plano visa estabelecer estratégias para melhoria de coberturas vacinais, notificação, bloqueio e identificação de novos casos e assim prevenir contra um possível surto em Goiânia.

Em 2019, foram registradas oito notificações de casos suspeitos de sarampo. Destes, seis já foram descartados e dois continuam sob investigação, sendo que um dos casos apresenta forte suspeita de confirmação da doença. O primeiro exame foi confirmado, mas é preciso fazer o segundo exame após 15 dias para confirmação definitiva.

O possível caso é de um homem de 45 anos que viajou para São Paulo e voltou com os sintomas da doença. Em Goiânia, entre as faixas etárias com menores coberturas estão as crianças de um a cinco anos com 85% de cobertura vacinal e adolescentes e adultos de 15 a 29 anos com 36% de cobertura.

Por esse motivo, esses grupos são considerados prioritários, visto que, a cobertura vacinal preconizada pelo Ministério da Saúde é de 95% da população. ”As crianças de um a cinco anos são prioritárias devido a chance de agravamento, e os jovens e adultos de 15 a 29 anos também, devido a baixa cobertura”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim.

É importante ressaltar que, são consideradas vacinadas e protegidas as pessoas de 1 a 29 anos que tiverem registradas no cartão duas doses de vacina tríplice/ou tetra viral e pessoas de 30 a 49 anos uma dose de tríplice viral. 

A Secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué, explica que a prefeitura reforçou as ações de prevenção ( plano de contingência) para que Goiânia não tenha surto da doença. ”Estamos monitorando cada caso suspeito e com um trabalho reforçado em várias frentes de atuação para que todos estejam protegidos com a vacina e assim reduzir a possibilidade de casos de sarampo”. 

Entre as estratégias apresentadas no plano de contingência para melhoria das coberturas vacinais estão: 

  • Monitorar, atingir e manter 95% de cobertura vacinal e 70% de homogeneidade para as duas doses da vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola, contempladas no calendário de rotina;
  • Divulgação em site institucional a lista das salas de vacina sediadas no município de Goiânia, com endereço, telefone e horários de funcionamento.
  • Promover a vacinação de todos os colaboradores (sem comprovação de vacinação ou imunidade contra sarampo e rubéola), de hospitais pediátricos e maternidades prioritariamente.
  • Identificar fluxos migratórios do exterior (chegada de estrangeiros) e fluxos internos (movimentos de grupos populacionais) em cada município, a fim de facilitar o acesso aos serviços de vacinação, de acordo com o calendário nacional de vacinação.( já em andamento em parceria com a Faculdade de Enfermagem da UFG)
  • Busca ativa de faltosos com os agentes comunitários de saúde e equipes da estratégia saúde da família;
  • Busca ativa nas salas de espera das unidades de saúde de pessoas elegíveis para vacinação, não vacinadas.
  • Busca ativa de adultos nos Mutirões da prefeitura para atualização do cartão vacinal. (Já iniciado desde julho nos mutirões)
  • Vacinação itinerante para regiões com baixa cobertura vacinal sem unidades de estratégia de saúde da família próxima, em parceria com o conselho Regional de Enfermagem que disponibilizará o COREN- GO Móvel. 
  • Foram vacinados seletivamente 1200 trabalhadores de serviços de Saúde. (A vacinação ainda esta em andamento)

Estratégias de notificação, bloqueio e identificação de novos casos:

  • Capacitar os profissionais da SMS sobre Diagnóstico Diferencial das Doenças Exantemáticas/Arboviroses, Manejo Clínico da Dengue e abordagem da Síndrome mão pé-boca. (Foi realizada em junho a capacitação para manejo clínico de pacientes com suspeito de Sarampo para cerca de 400 profissionais de saúde, principalmente médicos e enfermeiros)
  • Divulgar nota informativa direcionada a população geral sobre os principais sintomas, orientações sobre imunização. (Disponibilizada a partir de 09/08)
  • Elaborar e divulgar amplamente o plano de contingência, inclusive para os conselhos de classe, sindicatos, distritos sanitários, unidades de saúde nota técnica a respeito do sarampo. (Disponibilizada a partir de 09/08)
  • Na ocorrência de casos suspeitos, notificar imediatamente, em até 24 horas, às áreas correlatas nos três níveis de gestão do SUS.
  • Investigar todos os casos suspeitos em até 48 horas, seguindo o roteiro de investigação e a ficha de notificação para Doenças Exantemáticas, com o máximo de informações disponíveis.
  • Vacinar os contatos de casos suspeitos, não vacinados, em até 72 horas. (Por todos os lugares onde o caso suspeito percorreu durante o período de transmissão da doença)

Comentários

Mais de Saúde