Tecnologia

Projetos e palestras que foram destaques na CPGoiás

Está foi a primeira edição sediada em Goiânia

diario da manha
Foto: Mariana Manaya

Neste domingo (8/9) mais uma edição da Campus Party chegou ao fim, porém antes de dizermos adeus a um dos maior evento de tecnologia no mundo precisamos relembrar quais as palestras e projetos foram destaques desta, que foi a primeira edição em Goiânia.

LGPD

Sancionada em agosto de 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), A intenção da lei é garantir ao usuário mais privacidade e controle sobre seus dados, afim de evitar mal-uso pela parte de terceiros. Segundo a palestrante Mariana Gomes, consultora jurídica na área do Direito Digital, a lei também serve para esclarecer quando uma empresa pode tratar um dado pessoal, ou seja, quando ela pode armazenar, processar e transferir esses dados.

Mariana ressalta ainda que o usuário tem que dar consentimento para que seus dados sejam utilizados, sendo assim, a lei garante privacidade e controle ao usuário. Além disso, a consultora ressaltou que as penalidades pelo descumprimento da LGPD podem envolver proibição total ou parcial de atividades relacionadas a tratamento de dados. Essas multas podem corresponder até 2% do faturamento da empresa ou conglomerado limitado até R$ 50 milhões por infração cometida.

Inteligência emocional em tempos de Instagram

A redes sociais têm influenciado negativamente a saúde emocional da sociedade, segundo a psicologa e palestrante, Jessica Cicilia, existem possíveis doenças que podem ser causadas pelas redes sociais, como a Síndrome do Toque Fantasma – aquela sensação de que existe uma notificação no celular, mas quando o internauta vai verificar não há – existe também a Hipocondria Digital que consiste no aumento das preocupações sobre saúde baseadas em pesquisas na internet.

Além dessas doenças, a psicologa explicou ainda que, atualmente, o aumento de pessoas diagnosticadas com ansiedade ocorre em decorrência a quantidade de tempo que as pessoas ficam expostas nas redes sociais. Jessica pontua ainda que quando o usuário desenvolve um autocontrole em relação as redes sociais ela acaba tendo uma inteligência emocional melhor do que aqueles que são reféns da internet.

Projetos: Incubadora Empreendedora e a WebRádio

Segundo o gerente de desenvolvimento e inovação tecnológica do ITEGO, Douglas Falcão, a Incubadora é um projeto que tem como objetivo apoiar projetos durante as etapas de desenvolvimento, dispondo de espaço físico, bem como bens e serviços específicos como acesso à internet, computadores, telefone, espaço para reunião e auxílio em documentações.

Atualmente, duas empresas conseguiram o sucesso almejado com o apoio da incubadora do ITEGO. Segundo a diretora técnica, Rosana Rezende, o projeto da incubadora começou a ser desenvolvido em 2017, e apresenta seis empresas com o potencial de crescimento a partir de ideias empreendedoras.

Segundo a Superintendente de Planejamento do ITEGO, Andrea Monticelli, implantar o projeto da Web Rádio Itego R5 nasceu da necessidade de fomentar a comunicação e garantir um relacionamento mais estreito entre a comunidade e os ITEGOS. Segundo ela, o projeto foi desenvolvido em parceria com o comunicador Matheus Dibe que já possuía experiencia com WebRádios.

Monticelli ressaltou ainda que a escolha pelo online se deu pela necessidade de atingir a Classe C, baseado nos princípios da comunicação participativa, comunitária e informativa. Além disso a superintendente, a rádio também serviu para popularizar os cursos de capacitação do instituto que possibilita o cidadão de acessar o mercado de trabalho de uma forma mais rápida.

Comentários

Mais de Tecnologia

5 de julho de 2019 as 15:27

Goiânia sediará o Mobility & Show 2019

9 de fevereiro de 2019 as 20:23

A invenção do Game Boy