Salvem o João

Família cria campanha na internet em busca de ajuda para o tratamento do filho que tem paralisia que dificulta os movimento

Postado por Fernanda Laune em 27 de Novembro de 2015 às 21h58

João Augusto Tormim Ferreira Borges, 3 anos, dono de um sorriso encantador e cheio de amigos, nasceu prematuro e com oito meses de idade foi diagnosticado com leucomalacia periventricular, uma paralisia cerebral que afeta os quatro membros. Os pais, em busca de tratamento, encontraram uma cirurgia de rizotomia dorsal seletiva que pode tirar a rigidez muscular que João tem. Sem condições para bancar a cirurgia, incluindo passagens, estadia e alimentação, foi lançada a campanha “Todos pelo João” a fim de arrecadar dinheiro para a cirurgia. A campanha começou nesse mês de novembro e já conta com o apoio de artistas.

Em entrevista ao Diário da Manhã, os pais Lívia Tormim Ferreira Borges, 31, e Marcorelio Medeiros Borges, 36, relataram que a gravidez do filho João Augusto foi desejada e planejada. “A gestação foi tranquila e não tive nenhum problema. Mas, descobri que estava perdendo líquido numa ultrassom de rotina. No mesmo dia tive que fazer cesariana de emergência com apenas 31 semanas de gestação”, conta a mãe Lívia. João nasceu prematuro pesando 1.500kg com 44 centímetros e ficou um mês na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal na cidade de Palmas, no Tocantins.

Durante o período que ficou na UTI, João Augusto passou por vários exames e após a ultrassom transfontanela (exame realizado através da fontanela – conhecido também como moleira) observou-se uma lesão. Com acompanhamento médico até aos quatro meses de idade, a família resolveu vir para Goiânia, onde foi feita uma ressonância que evidenciou a leucomalacia periventricular.

A leucomalacia perventricular é um tipo de paralisia cerebral caracterizada pela presença de espasticidade, rigidez muscular que dificulta os movimentos, equilíbrio e coordenação motora. “Ficamos sem chão, não sabíamos o que fazer e pensávamos que o nosso filho ficaria condenado a uma cadeira de rodas pro resto da vida”, afirma a mãe. Os pais imediatamente começaram a procura por tratamentos e terapias para ajudar no desenvolvimento do João.

Depois de buscas por tratamento, a família encontrou o Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) foi quando decidiram mudar de Palmas para Goiânia, com o objetivo de tentar vaga e tratamento com mais qualidade para o João Augusto. A mãe largou o emprego para dedicar aos cuidados de João e se mudou imediatamente com ele, o pai só conseguiu mudar depois de dois anos, neste ano. “Foi uma época muito difícil para mim. Entrei em depressão e sofri muito, mas hoje graças a Deus estou curada”, completa Lívia.

Paralisia

A paralisia de João Augusto afeta os quatro membros é do tipo quadriplegia espástica. De acordo com os pais, a causa foi provavelmente por uma anóxia (ausência de oxigênio) durante o período que passou na UTI neonatal, em razão de ser prematuro teve uma forte infecção durante o tempo a internação.

Tratamento

Quando iniciou o tratamento no Crer, os pais conheceram um paciente que havia realizado a cirurgia de rizotomia dorsal seletiva, que ajuda a retirar a espasticidade. “Fizemos muitas pesquisas sobre a cirurgia e o método. E em 2014 enviamos todos os papéis para o hospital St. Louis Children’s, nos Estados Unidos. Porém o João não foi aceito e solicitaram a reavaliação quando João estivesse mais desenvolvido e utilizando um dispositivo auxiliar de marcha”, explica a mãe. Com a notícia, os pais ficaram bastante tristes, mas não desistiram de lutar pelo tratamento do filho.

As fisioterapias foram intensificadas em 2015, o João passou a ter um andador e com apoio dos fisioterapeutas ele conseguiu andar em curtas distância, pois ele cansa rápido. Por ter espasticidade a musculatura forçada, causando um gasto maior de energia. A mãe relata que na primeira tentativa de andar o filho conseguiu e ficou muito feliz, “ele ama andar”.

Ainda no primeiro semestre deste ano, a família ficou sabendo que o Dr. TS Park (médico que realiza a cirurgia nos EUA) ia vir para o Brasil passar férias e também para encontrar com pacientes que haviam feito a cirurgia com ele, os que já estavam com cirurgias marcadas neste ano e em 2016. “Quando fiquei sabendo pedi para uma amiga que estava no hospital nos EUA, em razão do filho ter feito a mesma cirurgia, para pedir o médico olhar novamente o João Augusto. Foi quando para a nossa surpresa ele aceitou!”, conta Lívia.

No dia 3 de novembro de 2015, a família foi até Campinas (SP) para o filho ser consultado pelo Dr. TS Park. Foi quando o médico examinou e afirmou que João Augusto estava pronto para fazer a cirurgia, pois terá ótimos resultados. De acordo com o médico, a espasticidade dos membros inferiores vai acabar e João não cruzará mais as pernas ao andar. Ele não vai ter mais deformidades nas articulações e não precisará de cirurgias ortopédicas, talvez somente uma no futuro. Além dos membros superiores ficarão mais soltos e funcionais, podendo caminhar por longa distância com ajuda do andador, podendo ser até muletas.

Rotina

O João estuda no período matutino e ao longo da semana faz terapias no Crer: fisioterapia, fonoaudióloga, terapia ocupacional, equoterapia e fisioterapia visual. João é cheio de amigos, um menino doce e tranquilo. Ás vezes possui uma certa irritabilidade, a mãe explica que é pela frustração ao tentar fazer movimento e não conseguir, o que deve acabar após a cirurgia.

“Ele tem dificuldade de movimentar os bracinhos e as perninhas, não consegue comer sozinho, nem segurar a mamadeira, não senta sozinho, não engatinha. E também ainda usa fraldas, usa cadeira de rodas e consegue apenas se arrastar”, relata a mãe.

Campanha

Os pais não têm condições de pagar a cirurgia e nenhum plano de saúde no Brasil cobrir, foi lançada a campanha “Todos pelo João” para arrecadar recursos para a realização do tratamento incluindo passagens, alimentação e hospedagem durante um mês. “Pedimos doações em dinheiro, produtos que possam ser rifados e patrocínio para camisetas da campanha”. O valor da cirurgia é US$ 46.200 dólares, com as despesas fica US$ 57 mil dólares, em torno de R$ 218.880 reais que precisam ser arrecadados.

Artistas como Marrone (Bruno e Marrone), Jorge (Jorge e Matheus), Henrique (dupla Henrique e Juliano), blogueiro Lucão, humorista Marcos Bazzar e cantor Gabriel Gava gravaram vídeo pedindo ajuda para o João Augusto. A campanha também está sendo trabalhada em Redenção (PA) e Palmas (TO), cidades que os pais já moraram e contam com ajuda de amigos na divulgação.

A ideia também contou com a colaboração da mãe da Karine, “Juntos pela Karine”, que a equipe do DM fez a reportagem em agosto retratando o caso. Karine conseguiu arrecadar dinheiro para o tratamento na Tailândia e viajou na última quinta-feira.

“Gostaríamos de agradecer a todos que estão contribuindo, curtindo a página do Facebook e instagram e compartilhando!”, conclui Livia.

Para doar e ajudar o João conseguir fazer a cirurgia:

Caixa Econômica Federal

Agência: 2256

Operação: 013

Conta poupança: 00039867-5

CPF: 066.160.901-40

João Augusto Tormim Ferreira Borges

 

Banco do Brasil

Agência: 1886-4

Conta corrente: 26.322-2

Livia Tormim Ferreira

Facebook: Todos pelo João

Instagram:@todos_pelo_joao

 

O pequeno João caminhando com ajuda de andador