Arte para os vinhos

O design dos rotulos apresenta uma prévia sobre o conteúdo da garrafa

Postado por Edna Gomes em 12 de Julho de 2017 às 21h04

Você certamente já ouviu aquele ditado popular que recomenda: “Não se deve julgar um CD pela capa.” Será que a mesma ideia pode ser transportada para o mundo dos vinhos? Claro que não se pode julgar um vinho por sua garrafa. Mas é o cartão de visita de um vinho. Para os apreciadores iniciantes, que ainda não estão familiarizados com todas as castas, terroir e regiões que tornam cada bebida única, a garrafa significa a primeira forma de diferenciar cada vinho. Para estes consumidores, a garrafa constitui o primeiro atrativo para determinado vinho, o que facilita a escolha do mesmo.

A garrafa de vinho é muito importante para preservar a qualidade do produto . O processo de engarrafamento deve obter o menor contato possível com o oxigênio, para evitar envelhecer a bebida. Além desta função técnica, o formato da garrafa, o rótulo de papel pode servir para conceituar o produto e ser um espaço para a criatividade do designer.

O design de embalagens, em geral, serve para que o público se identifique com um produto. Em se tratando de vinhos, quanto mais criativas, sofisticadas e inteligentes, mais as garrafas podem destacar o produto na gôndola e atrair o consumidor.

Todos já devem ter percebido que algumas garrafas de vinho são bem estilosas. Até mesmo as garrafas simples têm rótulos interessantes, mas lógico, não estou falando daqueles garrafões de 5 litros de Sangue de Boi. Estou falando de um vinho de “honesto”. Mas claro que algumas empresas inovam e abusam da criatividade e produzem um vinho bom com garrafas muito legais e inovadoras. Uma boa ideia na cabeça, uma boa equipe e um pouco mais de investimento faz com que o resultado seja satisfatório.

Cada vinho tem seu próprio caráter individual que vão desde jovens a maduros, de lúdico para o complexo. Não necessariamente o melhor vinho terá uma garrafa de qualidade equivalente a da bebida. A beleza ou o design inovador de uma garrafa, porém, pode representar e até mesmo elevar o nível de excelência de uma bebida. Por isso, a indústria vinícola investe, cada vez mais, no desenvolvimento de materiais e formatos que se adequem ou atraiam diferentes tipos de consumidores.

O impacto visual é muito importante. Ainda mais para quem adora arte. Algumas vinícolas já criaram a tradição de ilustrar alguns de seus rótulos, todos os anos, com obras de artistas renomados. É o caso de um dos maiores objetos de desejo de todo enófilo, o Château Mouton Rothschild, que já estampou pinturas de Picasso e Dali, por exemplo.

Outra a explorar essa veia é a Herdade do Esporão. Desde 1985, ano da primeira colheita, diversos artistas contribuíram para os rótulos desses vinhos.

A Christie’s de New York leiloou uma série de obras do artista surrealista belga René Magritte, mas uma delas chamou a atenção por ter sido pintada numa plataforma pouco usual: uma garrafa vazia de vinho!

A “Femme-Bouteille”, como é conhecida a pintura, retrata um nu feminino nos traços inconfundíveis do artista perante esse tema. A escolha de pintar sobre uma garrafa não foi por acaso. Elaborada por Magritte em 1940 ou 1941, ele refletiu a dificuldade de encontrar telas disponíveis naquele período, em plena 2ª Guerra Mundial, forçando os artistas da época a buscarem novas plataformas para exercerem seus trabalhos artísticos.

A principal função do design nos rótulos dos vinhos modernos, é dar ao consumidor uma ideia prévia sobre o conteúdo da garrafa. Muitas vezes, a aparência pode fazer a mágica que um marketing estratégico não pode. Buscando atingir adequadamente o seu mercado-alvo, os designers de rótulos para as garrafas de vinho tentam atrair o público oferecendo a imagem mais próxima possível de seu conteúdo.

Para celebrar o trabalho destes profissionais empenhados em inovar os rótulos de vinhos a coluna “Prazeres à Mesa” selecionou alguns rótulos atrativos e impressionantes. A ideia aqui é apreciarmos a arte visual e a criatividade. Além disso, estimular a mente e os sentidos quando pensamos: “Quais as características dos vinhos contidos dentro de cada garrafa? Onde esta arte vai me levar? Quais os prazeres, os sentidos e as sensações?”

 

Garrafa de vinho com pintura de René Magritte é leiloada em Nova York

Garrafa de vinho com pintura de René Magritte é leiloada em Nova York

René Magritte, imagem poética

René Magritte, imagem poética

Vinho Goulart B Black Legion Special Blend 2010 – Autêntico, elegante e sedutor, esse exemplar, com nuances de fruta madura e especiarias, traz em seu rótulo uma arte mais minimalista, simples e elementar

Vinho Goulart B Black Legion Special Blend 2010 – Autêntico, elegante e sedutor, esse exemplar, com nuances de fruta madura e especiarias, traz em seu rótulo uma arte mais minimalista, simples e elementar

A beleza deste rótulo no vinho Chateau Mounton Rothschild fala com a arte de Picasso. Lindo!

A beleza deste rótulo no vinho Chateau Mounton Rothschild fala com a arte de Picasso. Lindo!

 

Receita da semana 

 caldo-verde

Caldo Verde 

Fácil de fazer, e ótimo para os dias de frio

INGREDIENTES

1 kg de batata

3 gomos de linguiça calabresa fatiada

1 maço de couve fatiada

200 g de bacon

1 cebola grande picada

3 dentes de alho picado

2 caldos de carne ou de galinha

1 folha de louro

Sal a gosto

 

MODO DE PREPARO

Cozinhe as batatas na panela de pressão por uns 15 minutos. Deixe esfriar, e amasse. Reserve.

Em uma panela grande, frite o bacon por inteiro. Adicione o alho e a cebola, deixe dourar. Acrescente 3 litros de água (pode utilizar a água do cozimento da batata).

Depois que levantar fervura, acrescente a linguiça, o caldo de carne e a aos poucos a batata amassada.

Deixe ferver por 5 minutos, acrescente a couve. Cozinhe até levantar fervura.

Experimente e adicione sal, se necessário.

 

 

Caçarolas e vinhos

Wine Festival

No último final de semana, no Castro’s Park Hotel, aconteceu a 2ª edição do Wine Weekend, um evento realizado com o apoio de parceiros no segmento de vinhos e queijos.

Entre as atrações do evento teve o grande jantar português harmonizado com vinhos assinado pela chef Edvânia Nogueira, palestras com sommeliers de diversas nacionalidades, e o Wine Festival, um evento com um público seleto, que puderam apreciar mais de 150 rótulos de vinho, estações gastronômicas e músicas ao vivo.

 

VinÍcola Aurora conquista 5 medalhas

No “The Best Of Wine Weekend”, a seleção dos melhores vinhos, em suas categorias, do evento Wine Weekend São Paulo Festival 2017, no emblemático Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera. Esta é a oitava edição do evento, que é voltado ao consumidor final, com venda direta dos produtos.

Os vinhos Aurora Millésime Cabernet Sauvignon 2012, Aurora Pequenas Partilhas Notáveis da América Malbec 2014 e Aurora Varietal Cabernet Sauvignon 2016 conquistaram medalha de ouro. Aurora Reserva Chardonnay 2015 e o espumante Aurora Pinto Bandeira Método Tradicional Extra Brut 24 Meses, com prata e bronze, respectivamente. Foi um desempenho muito expressivo de uma única vinícola nessa seleção, que incluiu os vinhos mais representativos, de vários países, inscritos pelos mais de 60 expositores, entre vinícolas e importadoras.

 

Bar Glória

Um amigo convidou-me para irmos no Glória escutar boa música e comer bem. Achei convidativo. Nada melhor do que samba, chope e feijoada em um sábado à tarde. Chegando no local, estava lotado e coloquei meu nome na lista, após um longo período, descobri que a senhora que organiza a lista confunde quem ela conhece há mais tempo com quem está esperando há mais tempo. Como não sou sua amiga, fomos colocados na pior mesa (segundo a própria), láaaaaa fora. A música estava boa, a feijoada muito gostosa, embora seus acompanhamentos sejam insuficientes. O serviço é ruim, mas não por falta de vontade, mas por falta de coordenação e treinamento. Se você não conhecer a promoter, sugiro procurar outro lugar.