Gustavo Sebba faz visita técnica ao Hutrin, gerido por OS

Hospital de Urgências de Trindade é administrado pela OS Institutito Gerir

Postado por Redação em 25 de Fevereiro de 2016 às 20h12
Atualizado em 25 de Fevereiro de 2016 às 20h19

 

A Comissão de Saúde e Promoção Social da Assembleia Legislativa, sob a presidência do deputado estadual Gustavo Sebba realizou nesta quinta-feira visita técnica ao Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) que é administrado pela Organização Social (OS) Instituto Gerir. Em continuidade com o cronograma das visitas aos hospitais geridos por OS, Gustavo Sebba prossegue com as avaliações das unidades de saúde para apresentar o governador Marconi Perillo um relatório com as melhorias e déficits dos locais visitados.

Conforme apresentado pelo diretor geral do Hutrin, Daniel Flávio Cabriny de Almeida Costa desde 2014 que o Instituto Gerir comanda o hospital. De janeiro a dezembro de 2015 foram contabilizados mais de 100 mil atendimentos ambulatoriais e de emergência no Hutrin. De acordo com a administração, após a inserção da OS no hospital houve melhorias na qualidade do atendimento com investimentos na infraestrutura e implantação de modernos processos de gestão.

Na estrutura atual, o Hutrin conta com oito médicos atuando em casos de baixa e média complexidade e oferece 59 leitos de internação e centro cirúrgico com duas sala de funcionamento. Ainda segundo informações da direção do hospital em 2015 foram realizados cerca de 3 mil procedimentos cirúrgicos.

Gustavo Sebba, após a visita técnica, salientou que é perceptível as transformações do Hutrin com a gestão da OS. “Vemos uma hospital complexo e organizado, referência para saúde municipal”. O deputado estadual disse que, evidentemente, há dificuldades pela alta demanda de pacientes e que a Goiânia ainda continua atendendo os municípios que não tem estrutura na saúde primária. “Vemos que o Hutrin consegue atender além da demanda. É ainda um gargalo a saúde primária e básica nos municípios”.

O deputado fez referência a ‘ambulancioterapia’ para exemplificar as dificuldades dos municípios. No entanto, o deputado reconheceu que o Hutrin tem o poder de resolução relevante para a cidade, mesmo sem atender cirurgias de alta complexidade.

Apesar do Hutrin não contar com uma sala de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) o Instituto Gerir mantém um contrato terceirização com uma UTI móvel. Daniel Flávio ainda enfatizou que antes da reformulação do hospital o local era chamado de ‘postão’. De 2009 a 2012, o diretor geral disse que os equipamentos e instalações eram precários.

De acordo com o parlamentar, a estrutura física e a qualidade nas demandas atendidas têm trazido destaque para o hospital, o que acarreta sobrecarga aos profissionais no atendimento a comunidade local. Gustavo Sebba ponderou que apesar da sobrecarga, a unidade hospitalar tem sobressaído, superando as dificuldades, porém tem à disposição várias especialidades de baixa e média complexidade, dentre elas a pediatria, psicologia, cardiologia, clínica médica, ginecologia, obstetrícia e cirurgia geral.

“Futuramente, a diretoria quer transformar essa unidade em hospital de urgência e maternidade, que já faz esse papel. Esse hospital absorve uma demanda superior aquela proposta para ele, o que desafoga a capital. Poucos municípios tem essa estrutura”, comentou o parlamentar.        

“Após o Instituto Gerir houve ampliação das áreas do lixo hospitalar, separação de resíduos sólidos, melhoramento estrutural do centro cirúrgico e, principalmente da unidade de emergência”, enfatizou. Daniel Flávio salientou que há projetos para a implementação de UTI e estrutura para cirurgia de alta complexidade.

Acompanhando a Comissão de Saúde estiveram presentes: o diretor técnico, Valdeir de Sousa Teixeira, o diretor administrativo, Gilmar dos Passos, a assistente administrativa, Helena Muniz e o presidente do Instituto Gerir, Eduardo Reche.