Home / O prazer é todo seu

O PRAZER É TODO SEU

Você se lembra da sua primeira vez?

Pare e pense: Como foi o início da sua vida sexual?

Imagem ilustrativa da imagem Você se lembra da sua primeira vez?

Dizem que a primeira vez a gente nunca esquece! Mas no caso do início da vida sexual, nem sempre a lembrança é boa.

A falta de educação sexual em casa e na escola, o não poder falar abertamente sobre o assunto, leva muitos adolescentes a iniciarem a vida sexual por curiosidade ou pressão do grupo, para não se sentirem diferentes da maioria.

No Estudo da Vida Sexual do Brasileiro, realizado pela Dra. Carmita Abdo, em 2008, a média de iniciação sexual era 15,6 anos e vem diminuindo a cada década e hoje temos visto de forma frequente o início da vida sexual em adolescentes com 13 anos ou menos.

A primeira vez para as mulheres ainda vem cercada de um valor imenso. A cobrança da virgindade feminina faz com que esse momento seja, para muitas mulheres , vivido com curiosidade, medo e culpa.

A tal “prova de amor” ainda é uma fala frequente de garotos que querem convencer as meninas a terem sua primeira relação. E eu já vi gente pedir prova de amor pra uma num dia e pra amiga dela no dia seguinte. Que prova de amor é essa?

Primeiro que sexo e amor são coisas distintas, que podem ou não virem juntas. Segundo que convencer alguém dessa forma parece mais coerção do que consentimento.

Já vi também adolescente ameaçando que, se a namorada não transar com ele , ele vai se matar. A sorte é que essa adolescente tinha um ótimo relacionamento com a mãe e assuntos como esse podiam ser compartilhados.

Muitos pais acham que se não falarem de sexo, os filhos não serão incentivados a começarem a vida sexual. Esse é um grande engano, pois eles vão começar de qualquer jeito e se não receberem as orientações adequadas estarão expostos a muitos riscos como gravidez indesejada, infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e relacionamentos abusivos. Aliás, me assusta a quantidade de relacionamentos abusivos entre adolescentes e o fato deles não perceberem que estão em relacionamentos tóxicos. Controle, ciúmes excessivo, violência psicológica, isolamento, proibição de contato com amigos e afastamento da família são comportamentos frequentes entre esses casais. Isso é muito perigoso.


		Você se lembra da sua primeira vez?
Fonte: Reprodução

Um estudo americano, realizado com 10.000 adolescentes masculinos e femininos, avaliando a percepção dos adolescentes sobre as atitudes maternas a favor da abstinência sexual, mostrou que quanto maior a percepção dos adolescentes a respeito da desaprovação de suas mães sobre a iniciação sexual, maior foi a probabilidade de se envolverem em relações sexuais de forma precoce. Por outro lado, as adolescentes satisfeitas com

a relação com a mãe, e com espaço para uma conversa mais aberta sobre sexualidade, tinham menos probabilidade de iniciarem precocemente a vida sexual, bem como menor risco de gestações indesejadas e infecções sexualmente transmissíveis. Um outro trabalho mostra ainda que adolescentes que passam mais tempo sozinhos e ociosos em casa também podem iniciar a vida sexual mais cedo. Uso de álcool e outras drogas ilícitas por adolescentes são fatores de risco para iniciação sexual precoce, gravidez indesejada e ISTs.

E fico aqui pensando o quanto poderia ser diferente se nós pais não tivéssemos tanta dificuldade para falar de sexo e relacionamentos com nossos filhos.

Você se lembra da sua primeira vez? Lembra se recebeu alguma orientação dos seus pais? Que sentimento você tem hoje ao se lembrar desse momento? Lembra onde foi? Você realmente estava preparada (o) para o início da vida sexual? A forma como você iniciou sua vida sexual influenciou positiva ou negativamente no que você viveu depois e no que você vive hoje sexualmente?

Quando questiono para as meninas onde foi essa primeira relação, é comum responderem que foi no banheiro da escola, em pé, num momento rápido e que não sentiram nada além de dor. Acharam o sexo uma droga. “Sexo é só isso?”. “Foi horrível”.

Algumas meninas acabam traumatizadas com essa primeira experiência e persistem com dores nas relações seguintes e vão fazendo por fazer, sem sentirem nenhum prazer. E se os homens adultos nem sempre sabem muito sobre preliminares, imagine os adolescentes, com os hormônios a todo vapor, focados apenas em penetrar e na força que representa o seu genital.


		Você se lembra da sua primeira vez?
Fonte: Reprodução

A iniciação sexual masculina nas casas de prostituição eram muito comuns e até hoje ainda acontecem. Apesar de ser permitido aos homens vivenciarem sua sexualidade sem tantas cobranças, como acontece com as mulheres, os homens também não recebem muitas orientações. A maioria aprendeu sobre sexo assistindo filmes pornôs, e o pornô não é o modelo real de sexo que ele vai vivenciar com a parceria.

Sexo é aprendizado constante! Ninguém nasce sabendo! O desejo, a pulsão é nata! Mas a forma como nos relacionamos prazerosamente com o outro é aprendizado!

Educação sexual em casa e nas escolas é um tema urgente! Os pais precisam serem orientados a como ajudarem seus filhos a passarem pela adolescência de forma saudável, podendo iniciar a vida sexual no momento certo e conscientes dos riscos e benefícios. E, ao falar de sexualidade, não devemos instalar o terror como forma de coibir a atividade sexual, mas sermos realistas e falarmos também de prazer e dos benefícios que o sexo traz para as nossas vidas!

Nenhum adolescente deveria iniciar a vida sexual antes dos 15-16 anos, que é o momento que atingimos a maturidade do córtex cerebral e temos condições de avaliar melhor os riscos de cada atitude. Até essa idade, os adolescentes são muito impulsivos e não medem as consequências.

E aí vão alguns aspectos importantes na hora de iniciar a vida sexual:

- Só inicie a vida sexual quando sentir que está preparada(o) para viver esse momento

- Não ceda a nenhuma pressão! Só faça quando você quiser.

- Autoconhecimento é importante! Conheça seu corpo e o potencial de prazer que ele pode te dar.

- Aumente gradativamente as carícias, criando uma intimidade com preliminares que possam ser prazerosas para ambos. Isso será fundamental para que essa primeira vez não seja dolorosa para as mulheres e elas estejam relaxadas e lubrificadas.

- Respeite seu momento e seus valores.

- Se você decidir que só terá experiências sexuais após o casamento, inicie essas intimidades no dia do casamento e não se cobre para ter um sexo com penetração de imediato. Construa a ponte da intimidade.

- Contracepção e prevenção de ISTs é assunto sério! Não brinque com a sua vida!

O Prazer é todo seu, mas precisa ser vivido com responsabilidade!

Leia também:

  

edição
do dia

Capa do dia

últimas
notícias

+ notícias