Brasil

Bolsonaro investe contra Rede Globo e JN

Na semana de comemoração dos 50 anos do Jornal Nacional, Jair Bolsonaro preferiu criticar o telejornal mais antigo e assistido da TV brasileira ao invés de parabenizá-lo.

diario da manha
Foto: Reprodução

Na última quarta-feira (4/9) a rede Globo e o Jornal Nacional, foram alvos do presidente Jair Bolsonaro. Na semana de comemoração dos 50 anos do Jornal Nacional, Jair Bolsonaro preferiu criticar o telejornal mais antigo e assistido da TV brasileira ao invés de parabenizá-lo. Ao responder a uma pergunta sobre o aniversário de 50 anos do Jornal Nacional Bolsonaro disse que a suspensão de publicidade estatal na Globo o faz alvo de críticas do jornalismo da emissora.

Ele  ironizou o fato de a TV Globo ter sido fundada em 1965, durante a ditadura militar e disparou:  “Agora o JN não tem mais teta, não estão mamando mais, não tem mais propaganda oficial do governo”.

Em tom de revanche, feita durante campanha presidencial, Bolsonaro já havia prometido cortar verba publicitária estatal destinada aos veículos de comunicação.

 Se achando vítima do jornalismo da Globo Bolsonaro disse que “o esporte agora é me atacar. Não vão conseguir, o couro aqui é grosso.”

Confronto

A briga do presidente com a Globo se acirrou em agosto do ano passado, durante entrevista ao vivo na bancada do Jornal Nacional, quando o então candidato Bolsonaro não conformado com as perguntas levantadas pelos âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos confrontou-os: “Vocês vivem em grande parte, aqui, com recursos da União. São bilhões que o Sistema Globo recebe de recursos da propaganda oficial do governo.”

Na edição do dia seguinte, o jornalista rebateu a afirmação do presidente, ao ler o seguinte comunicado: “É uma informação absolutamente falsa. A propaganda oficial do governo federal e de suas empresas estatais corresponde a menos de 4% das receitas publicitárias da emissora”.

De lá para cá Bolsonaro não fala mais com os repórteres da emissora, como também não responde a perguntas que ele considera “indevidas” a outros veículos de comunicação.

Com informações da Terra

Comentários