Brasil

Chuva causa dez mortes na região da Baixada Santista

Além das mortes, uma pessoa está desaparecida. Há registros de pontos de alagamentos e deslizamentos

diario da manha

Chuvas que atinge a região da Baixada Santista deixa dez pessoas mortas na madrugada desta terça-feira (3). De acordo com a Defesa Civil do Estado, foram três mortes em São Vicente, cinco em Guarujá e uma em Santos. A morte da outra décima pessoa, não teve local confirmado pela Defesa Civil.

Além das mortes, uma pessoa está desaparecida em Guarujá. Há registros de diferentes pontos de deslizamento de terra e alagamentos na região.

Foram três mortes em São Vicente, uma na Rua Pêro Lopes de Souza e duas na Rua Saturnino de Brito, no Parque Prainha. Duas na Rua Uruguai, no Jardim Centenário, em Guarujá. Uma morte na Rua das Pedras, no bairro Caneleira, em Santos. E outra morte em cidade ainda não confirmada.

O governador João Doria fez uma postagem nas redes sociais, declarando sua solidariedade aos moradores da região e menciona suporte.

Confira

“Minha solidariedade aos moradores da Baixada Santista que sofrem com as fortes chuvas desde ontem. Lamentavelmente, até o momento, há 9 mortos confirmados. Temos 1 herói do Corpo de Bombeiros entre as vítimas. A Defesa Civil, Bombeiros e PM estão dando suporte às prefeituras”.

Guarujá

De acordo com a Defesa Civil do Estado, houve a morte de três pessoas e o desaparecimento de uma no Morro do Macaco Molhado, em Guarujá. Dentro de uma residência que desabou estava uma mãe com um bebê, eles foram soterrados. Um bombeiro também foi atingido por um novo deslizamento, ele auxiliava nas buscas. Outras duas pessoas também morreram na rua Uruguai, no Jardim Centenário.

São Vicente

A Defesa Civil registrou deslizamentos nos morros do Barbosas, Ilha Porchat e Parque Prainha. As equipes do Corpo de Bombeiros trabalham nas buscas de um casal que está desaparecido. Eles estavam saindo de casa quando foram arrastados pela chuva.

Um idoso está desaparecido após o chão do banheiro de uma clínica de repouso ceder, na Vila Valença. O local foi interditado e as famílias de sete idosos notificadas. A Secretaria de Assistência Social (Seas) os acolheu e os encaminhou para abrigo municipal.

Até o momento, a Cidade apresenta pontos de alagamentos nas regiões do Jóquei Clube e Cidade Náutica. As ocorrências estão sendo atendidas pelos representantes da Defesa Civil e secretarias de governo que trabalham desde a madrugada.

Santos

Deslizamento causado pela chuva forte mata uma mulher, de 30 anos, no Morro do Tetéu. O resgate de uma criança foi realizado pelo Corpo de Bombeiros, no Morro do Fontana. Ela teve fraturas graves e foi encaminhada à Santa Casa de Santos.

Em diversos pontos na cidade foram registrados alagamentos. Sendo assim, o tráfego foi bloqueado em diferentes vias, com as avenidas Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes, na Zona Noroeste.

Até o momento, mais de 70 ocorrências já foram registradas. A equipe da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e equipes de zeladoria estão focados em atender ocorrências registradas na Cidade. Os morros permanecem em estado de atenção para deslizamentos.

Peruíbe

25 pessoas deixaram temporariamente as residências s e foram recebidas no Centro Comunitário do Caraminguava de Peruíbe. Algumas ruas ficaram alagadas, no entanto, não houve ocorrência e não há áreas de risco.

Defesa Civil

O Coordenador Estadual da Defesa Civil, Coronel Walter Nyakas Junior, está na região para avaliar as primeiras necessidades.

Segundo dados do Dados do Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil do Estado o acumulado nas últimas 12 horas de chuvas no Guarujá foi de 282 mm, em Santos de 218 mm, em Praia Grande 170 mm, São Vicente 169 mm e Mongaguá 160 mm, Cubatão 132 mm e Itanhaém e Bertioga o acumulado foi de 110 mm.

Para esta terça-feira, a previsão é de chuva moderada a forte em todo o litoral São Paulo, inclusive na Baixada Santista.

Houve interrupções pontuais de energia nas cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande e Cubatão em razão das chuvas. As equipe da CPFL Piratininga informou que a previsão é de que o restabelecimento total das pessoas afetadas aconteça até o final da manhã desta terça-feira.

Chuvas no Sudeste

De acordo com especialistas, o que explica as fortes chuvas na região em fevereiro é a ausência de variações de temperatura no Oceano Atlântico e o aquecimento global.

No começo de março as chuvas seguem advertindo a região. Quatro pessoas morreram no Rio de Janeiro e uma no Espírito Santo na última segunda-feira (2).

*Com informações do G1

Comentários