Brasil

Neymar e amigos podem ser presos por homofobia e ‘formação de quadrilha’

diario da manha

Um documento com denúncias foi protocolado no Ministério Público de São Paulo e pede a prisão preventiva de Neymar e um grupo de amigos, após um áudio sobre a briga da mãe do jogador com o namorado, Tiago Ramos, segundo colunista Fábia Oliveira. Em um áudio vazado na última quinta-feira (4), o jogador xingou o modelo e o chamou de “viadinho”. Já os seus “parças”, sugeriram colocar cabo de vassoura no ânus ou até mesmo matá-lo, como castigo.

“Ao se reportar ao namorado da mãe bissexual, ele e o bando, insinuaram, insuflaram, noticiaram, a possibilidade de agredir um senhor gay, inclusive com a introdução de um cabo de vassoura no anus do namorado da mãe”, diz a nota enviada ao Ministério Público.

Nadine, mãe de Neymar, e Tiago Ramos em foto publicada no Instagram (Foto: Reprodução)

Segundo a coluna de Fábia Oliveira, que teve acesso ao documento, está pedido a apreensão da gravação e a quebra de sigilo de todos os envolvidos na conversa vazada  com “falas homofóbicas e ainda visa penalizar com agressões físicas, sodomia e empalhamento de uma criatura humana”. A denúncia foi movida por ativistas LGBTQ+.

“Sendo Neymar pelo status de formador de opinião e ele está pedindo para que seu grupo pratique crimes, seria o caso de uma preventiva”, disse Agripino Magalhães, autor do documento.

O Supremo Tribunal Federal reconheceu, em junho de 2019, que a discriminação por orientação sexual e de identidade de gênero é crime. A pena pode ser de um até três anos de prisão, além de multa. Já a propagação de ato homofóbico em meios de comunicação pode elevar a pena a cinco anos.

Neymar e amigos podem ser presos por homofobia e ‘formação de quadrilha’. (Foto: Reprodução)

Ouça os áudios em que Neymar e seus amigos falam de Tiago Ramos:

Comentários