Brasil

Jovem picado por Naja é preso em operação da PCDF

Estudante de veterinária é investigado por envolvimento no tráfico de animais, e ficou conhecido após ser picado por uma Naja no dia 7 de julho

diario da manha
Foto: Reprodução

O estudante de veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck, que ficou conhecido após ser picado por uma cobra da espécie Naja, foi preso na manhã desta quarta-feira (29/7) pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). O mandado de prisão foi cumprido na casa onde Pedro mora com a família, que é investigada por suposto crime ambiental e ocultação de provas.

Pedro Henrique foi picado por uma Naja kaouthia que ele criava como animal de estimação, e devido a serpente não ser natural do Brasil, a polícia suspeita que o animal foi trazido para o DF, por meio de uma licença irregular que foi emitida por uma servidora do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (IBAMA) que inclusive foi afastada do cargo.

O estudante picado pela Naja vai ficar preso temporariamente, uma vez que o mandado de prisão é temporário, e foi expedido no âmbito da Operação Snake.

Relembre o caso do jovem picado pela Naja

No dia 7 de julho, Pedro Henrique foi picado pela serpente, e levado para o Hospital Maria Auxiliadora no Gama, durante o período de internação, o estudante de veterinária, chegou a ficar em coma.

Após ser picado pela serpente, um dos amigos do jovem, identificado como Gabriel Ribeiro, tentou esconder os animais clandestinos que Pedro criava. Devido a tentativa de obstruir as investigações, Gabriel se encontra preso.

A cobra pela qual o jovem foi picado foi encontrada perto do Shopping Pier 21, e outras serpentes foram encontrada em uma chácara em Planaltina. Desde então a polícia investiga o envolvimento com tráfico de animais, que culminou com a suspensão de uma servidora do IBAMA.

*Com informações do Metrópoles

Comentários