Brasil

Caiado afirma: "corrida maluca precisa de um freio", sobre vacina da Covid-19

Governador de Goiás corroborou que o Plano Nacional de Imunização está sob a supervisão do Ministério da Saúde

Ronaldo Caiado (DEM), governador de Goiás, advertiu, nesta segunda-feira (14), o que denominou de “corrida maluca” pela vacina contra a Covid-19 no país. Ele ressaltou que um estado não pode ter preferência pelo imunizante, uma vez que a Constituição prenuncia que todos os brasileiros sejam tratados igualmente.

“A Política Nacional de Imunização não é prerrogativa de nenhum estado, nem de nenhum município. Há 47 anos, funciona como uma política nacional e, como tal, cumpre a norma constitucional que não se pode tratar os brasileiros de forma diferente”, afirmou o governador.

“Essa divisão de Brasil com vacina e Brasil sem vacina, essa corrida maluca é que precisa ter um freio de arrumação imediato, para que coloque ordem na casa, para que se diga que a Política Nacional de Imunização é federal, é do Ministério da Saúde”, considerou o governador.

Segundo no site Metrópoles, no último dia 7 de dezembro, o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), indicou antever que a vacinação no estado vai começar já no próximo dia 25 de janeiro de 2021. O imunizante usado será a Coronavac, que tem sido produzida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Perante o anúncio, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), agilizou para fechar acordo com a farmacêutica Pfizer, que produz outra vacina contra a infecção. O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, destacou a possibilidade da vacinação iniciar, no mínimo, de maneira emergencial, em 2020.

Comentários