Brasil

Eleitores brasileiros são contra voto obrigatório, e 73% aprovam urnas, diz pesquisa

73% aprovam sistema com urnas eletrônicas, enquanto outros 13% querem retorno do voto no papel

diario da manha

O voto obrigatório que vigora no Brasil não tem muitos fãs no país, e a pesquisa publicada hoje (4/1) pelo Data Folha, comprava isto. Cerca de 56% dos eleitores brasileiros são contra a medida, outros 41% se disseram a favor do sistema obrigatório, e 2% disseram que ser indiferentes a questão.

Em 2015 o número de pessoas contrárias ao voto obrigatório foi de 66%, o maior índice registrado pelo levantamento. O Data Folha lembrou que os números apresentados este ano, ficam próximos das pesquisas que foram feitas entre julho e outubro de 2014.

Os números divulgados pelo levantamento mostram ainda que 64% dos homens são contra, enquanto o número de mulheres que se opõem chega a 50%. Entre os jovens com idade entre 16 e 24 anos, cerca de 40% são contra o voto obrigatório e esse número sobe para 59% no caso da faixa etária entre 25 a 34 anos. E nas outras faixa etárias o número varia de 58% a 63% contra o voto obrigatório.

Quando levantado o quesito escolaridade, ao menos 51% com nível fundamental se mostrou contrário, o número sobe para 58% para quem tem o nível médio, e 62% para quem tem ensino superior. Os dados mostram ainda que o número daqueles que são contra a obrigatoriedade do voto, se assemelha aos dados de aprovação do atual presidente da República, Jair Bolsonaro, que tem 57% de aprovação e 58% de rejeição.

Além do levantamento sobre a obrigatoriedade do voto, Data Folha levantou o nível de confiança na urna eletrônica

Outro dado levantado pela pesquisa foi o nível de confiança na segurança da urna eletrônica, mesmo com todo discurso da ala bolsonarista, ao pedir voto e impresso e questionar a funcionalidade e segurança do equipamento.

Conforme divulgado pelo Data Folha um a cada três brasileiros, ou seja, 33% confiam no sistema com as urnas eletrônicas, outros 36% confiam pouco na urna e 29% não tem confiança no mecanismo, outros 2% não opinaram sobre as urnas.

37% dos homens confiam muito nas urnas eletrônicas, o número de mulheres chega a 30%, e com uma faixa etária de pessoas menos escolarizadas o nível de confiança no sistema é de 31%, quem estudou até o ensino médio confia 27%, e no casos dos mais escolarizados a confiança na urna eletrônica chega a 48%.

Os dados mostram ainda que a parcela da população que aprova a gestão Bolsonaro, 38% não confiam nas urnas, outros 25% confiam muito, e quem considera o governo regular 27% não tem confiança no sistema, enquanto 30% confiam. Já no grupo de reprovação do atual governo, apenas 19% não confiam enquanto outros 45% tem confiança no sistema com urnas eletrônicas.

O Data Folha ainda questionou se seria melhor seguir com as urnas ou voltar ao sistema de votação no papel, e 73% afirmou que prefere o sistema com urnas eletrônicas, apenas 23% pediram a volta do sistema com papel e outros 4% não opinaram.

Dos que aprovam o governo Bolsonaro 64% disseram preferir a urna eletrônica, 32% defenderam volta do sistema antigo; para quem acredita que a atual gestão é regular esse número fica entre 74% e 23% e para aqueles que reprovam o atual governo os dados mostram que 83% aprovam o atual modelo, enquanto 13% optaram pela volta do modelo de voto no papel.

Comentários