Brasil

Conta de energia pode ficar 13% mais cara

Alta do dólar, impostos, baixa quantidade de chuvas são os principais fatores para o reajuste da conta de luz

diario da manha

A conta de energia pode ficar 13% mais cara em todo Brasil. A informação foi divulgada na última terça-feira (9/2) pelo diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone. Conforme o diretor os reajustes das tarifas são feitos individualmente para cada uma das distribuidoras de energia do país.

Pepitone afirmou que a Aneel busca neste momento medidas para evitar o aumento da tarifa, e que as áreas técnicas trabalham para determinar qual pode ser o valor do reajuste. Segundo o diretor, o aumento nas contas de energia em 2021, pode chegar a 13% caso nada seja feito, e por essa razão a Agência busca alternativas para conter o reajuste.

O reajuste da tarifa da conta de energia é feito levando em consideração o preço do produto, custo de transmissão da eletricidade, o valor do dólar e dos impostos.

O diretor-geral da Aneel afirmou que em 2021, as contas de luz vem sendo pressionadas por quatro fatores, sendo o primeiro deles a alta do dólar, que causa um impacto direto na tarifa da usina de Itaipu.

O IGPM é outro responsável pela alta no país, com um aumento de 23,5% nos últimos 12 meses, e a quantidade de chuvas, que fez com que o volume dos reservatórios ficassem baixos é outro fator que levou ao aumento.

Segundo Pepitone com menos chuva, o governo precisa usar as usinas para garantir o suprimento de energia. E as usinas térmicas tem um custo maior do que o das usinas hidrelétricas.

*Com informações do IG

Comentários