Brasil

Cassino clandestino em que Gabigol foi detido cobrava R$ 40 mil por cadeira

diario da manha

O cassino clandestino frequentado pelo jogador Gabigol na madrugada de domingo (20), em São Paulo, cobrava R$ 40 mil de cada pessoa que desejasse sentar em uma mesa. A informação foi divulgada pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP).

De acordo com a Folha de S.Paulo, a fonte foi um profissional que comanda uma mesa de jogo no empreendimento. Além disso, o deputado contou que Gabigol tentou se esconder embaixo de uma mesa no momento da ação da polícia. 

Leia também: Paulo Gustavo é internado com Covid-19 em hospital do Rio de Janeiro

MC Gui também estava presente na festa, que acontecia no quarto andar do prédio, com cerca de 400 pessoas. Dentro dos R$ 40 mil estavam inclusas regalias, como bebidas, comidas e convidados, segundo Frota.

 Todas as pessoas no cassino clandestino foram encaminhadas para a Delegacia de Crime contra a Saúde Pública. No entanto, assinaram termo circunstanciado, comprometendo-se a prestar esclarecimentos depois, e foram liberados.

Leia também: Ana Maria Braga dá bronca em Gabigol por ida a cassino clandestino: “Dessa vez foi frango, né?”

Comentários