Brasil

Bolsonaro chama Doria de ''patife'' e ataca decisão do STF sobre cultos

“Parece que essa patife de São Paulo quer quebrar o estado, quebrar o Brasil, para depois me apontar como responsável”, disse Bolsonaro

diario da manha

Na manhã deste sábado (10), o presidente Jair Bolsonaro ( sem partido), voltou a criticar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que deu autonomia para os estados, municípios e o Distrito Federal decretarem fechamento de igrejas em meio a pandemia. Segundo o presidente, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que proibiu os culto coletivos, é um ” patife”.

”Lamento os superpoderes que o STF deu aos estados e aos governadores para fechar, inclusive, igrejas de cultos religiosos. É um absurdo dos absurdos. Está valendo o decreto do governador”, disse Bolsonaro em live no Facebook, durante visita à cidade de São Sebastião, no Distrito Federal.

Ainda sobre os decretos de Doria, que determinam medidas restritivas, Bolsonaro falou: “Parece que essa patife de São Paulo quer quebrar o estado, quebrar o Brasil, para depois me apontar como responsável”.

”O pessoal que me acusa de ditador nunca viu uma palavra minha e um só gesto que eu fugisse da Constituição. Muitos que me acusam fogem. Não dá para admitir no Brasil essa política de lockdown, de fechar tudo”, pontuou o presidente.

Segundo Bolsonaro, as restrições ao comércio imposta pelos governadores é uma forma de “empobrecer a população para depois dominá-la”.

Comentários