Brasil

Depois de um ano do beijo gay, policiais viram réus por homofobia no DF

diario da manha

Seis policiais militares do Distrito Federal (DF) e um bombeiro passaram a ser réus, pelo crime de homofobia, após comentários preconceituosos sobre o “beijo gay” durante a formatura de novos praças no DF. O caso ocorreu em Janeiro do ano passado, mas apenas agora depois de um ano, o tribunal de Justiça do Distrito Federal, aceitou a denúncia contra 11 pessoas pelo crime.

Vale lembrar que na ocasião dois casais homoafetivos para comemorar a promoção dos parceiros se beijaram durante a formatura, o que gerou grande repercussão nacional, e comentários preconceituoso por parte de pessoas que integram a corporação.

Além do mais, desde setembro de 2019, a homofobia passou a ser considerado crime, entendimento esse advindo do Supremo Tribunal Federal (STF) e a pena por esse crime pode varia de dois a cinco anos de prisão e multa.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) não se pronunciou sobre o caso, no caso dos Bombeiros, os mesmos afirmaram que não foram notificados sobre a decisão.

Beijo Gay foi registrado durante a formatura da PMDF em janeiro do ano passado

O caso ocorreu após os policiais em questão publicarem em suas redes sociais, as fotos beijando seus respectivos companheiros, o que causou polêmica e diversos comentários ofensivos.

Após o caso ganhar as redes sociais, o Ministério Público do DF (MPDFT) apresentou em sua denúncia diversas mensagens que foram publicadas pelos acusados, e que mostram o crime de homofobia. Em uma delas inclusive um policial militar da reserva classificou a demonstração de carinho entre os casais como “avacalhação e uma tentativa de enxovalhar a farda”.

Um outro comentário postando em uma rede social por outro PM, diz que os formandos não tem direito de ridicularizar a instituição e que tal ato é considerado crime militar. Ainda mais exaltado o pm diz “Vai pqp com com essa viadagem”.

Outro policial classificou o beijo gay como repugnante, e afirmou que eles não tem moral nem para catar cocô de cachorro. Essas foram só algumas das mensagens usadas e anexadas ao processo pelo MP, que cita ainda uma outra fala, na qual o acusado diz “Na verdade viado e sapatão, estão em todas a instituições. A verdade é essa, o Brasil está um lixo total”.

*Com informações do G1

Leia também:

Comentários