Brasil

Polícia Federal deflagra operação para retirar garimpeiros da Terra Indígena Yanomami

A invasão garimpeira causa a contaminação dos rios e degradação da floresta, o que reflete na saúde dos Yanomami.

diario da manha
Foto: Alexandro Pereira/Rede Amazônica/Arquivo

Na manhã desta terça-feira (29), a Polícia Federal (PF), deflagrou a operação Omama, para retirar garimpeiros da Terra Indígena Yanomami. Segundo a associação Hutukara, a região é alvo de pelo menos 20 mil invasores que fazem extração ilegal de ouro nos arredores das comunidades onde vivem os indígenas.

A ação deve fazer incursões estratégicas em diversos garimpos dentro da Terra Yanomami com o apoio de tropas especiais, uso de aeronaves e equipamentos “visando apreender e inutilizar maquinários, aeronaves, insumos e outros materiais utilizados na extração de ouro, desencorajando os garimpeiros de permanecerem na região”, afirma a PF..

Com quase 10 milhões de hectares, a Terra Yanomami é, territorialmente, a maior do país. Cerca de 27 mil indígenas vivem em mais de 370 aldeias na região.

A invasão garimpeira causa a contaminação dos rios e degradação da floresta, o que reflete na saúde dos Yanomami. Em 2020, o garimpo ilegal avançou 30% na Terra Yanomami. Só o rio Uraricoera concentra 52% de todo o dano causado pela atividade ilegal.

O trabalho de desintrusão – medida legal tomada para concretizar a posse efetiva da terra indígena ao povo que vive nela – ocorre com o apoio do Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Força Nacional.

O nome da operação faz alusão a Omama, entidade que deu origem ao povo Yanomami, segundo a crença indígena.

Comentários