Brasil

Duas pessoas morrem em acidente em Campo Grande

O rapaz que dirigia estava embreagado e não possuía carteira de habilitação

diario da manha

Um jovem e uma mulher morreram em acidente de carro no Jardim Tijuca, em Campo Grande na noite do último domingo, 18. O rapaz de 23 anos dirigia o veículo embreagado, e a mulher estava como passageira.

O veículo colidiu com o luminoso de um comércio, derrubando-o e causando curto-circuito, ainda bateu na parede de alvenaria e ainda atingiu parte do imóvel vizinho.

“Pensa no estrondo que fez. Foi muito feio”, disse a comerciante Solange Martins Meira Damico, que estava na casa dela, aos fundos do comércio, no momento do acidente.

Solange disse que estava no quarto e os filhos na sala. Com o barulho da colisão, os familiares se assustaram e saíram da casa para ver o que havia acontecido, foi quando se depararam com o acidente. “Foi muito triste. Minha filha de 14 anos ficou em choque”.

Cristian Lucas Lopes dirigia uma picape que destruiu a frente do comércio no momento de contornar uma rotatória. “O asfalto aqui é novo. Não tem lombada. Já é o segundo acidente”, alertou Solange, que pede redutores de velocidade para a via.

A batida derrubou o luminoso, a cerca elétrica, concertina, fios de internet, telefonia e de energia elétrica. Além de dois padrões de energia que tiveram um curto e provocou incêndio no carro, testemunhas controlaram o fogo com um extintor do próprio veículo.

O rapaz foi reconhecido pelo irmão, que relatou à polícia que momentos antes do ocorrido estava em uma tabacaria, embreagado e que não conhecia a passageira que havia pedido carona.

Testemunhas disseram aos policiais que Cristian estava embriagado, havia sido expulso da tabacaria e, na saída, conheceu a moça, que pediu carona para ele.

De acordo com a polícia, a passageira estava sem documentos pessoais. Na bolsa dela havia uma conta de telefone que foi utilizada pelos policiais para consultar o sistema de segurança, e comparar fotos semelhantes com a mulher morta. No entanto, a identificação da será confirmada somente no Instituto Médico e Odontológico Legal (Imol).

O ocorrido foi registrado pela Polícia Civil como homicídio culposo na direção de veículo automotor e morte a esclarecer. O rapaz não possuía habilitação para dirigir.

*Com informações do G1

Leia também:

Comentários