Brasil

Mato Grosso: o estado com mais conflitos por terra em 2020

A Comissão Pastoral da Terra no Mato Grosso documentou um total de 13.029 famílias envolvidas nos conflitos

diario da manha

Mato Grosso (MT) foi o estado que mais viveu conflito por terra no ano de 2020 no ranking dos estados do Centro-Oeste. O dado foi publicado pela Comissão Pastoral da Terra no Mato Grosso (CPT-MT) nesta terça-feira, 27.

Segundo a entidade, a 35ª edição do relatório Conflitos no Campo Brasil 2020 tem registrado os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores do campo brasileiro, além de indígenas, quilombolas e povos tradicionais do campo.

O número de ocorrências de conflitos por Terra em 2020 foi o maior desde 1985 no país, conforme o relatório do Centro de Documentação da CPT Dom Tomás Balduino (CEDOC) que documentou e sistematizou 1.608 casos. Desde então os registros começaram a ser divulgados..

Este dado também excede 25% ocorrências a mais que 2019, e 57,6% que 2018. Tais conflitos envolveram 171.968 famílias. As ocorrências incluem casos de pistolagem, expulsão, despejo, ameaça de expulsão, ameaça de despejo, invasão, destruição de roças, casas e bens.

O Mato Grosso está em primeiro lugar entre os estados do Centro-Oeste e ocupa a 3ª posição no país, no questão Conflitos por Terra.

Segundo a CPT, aconteceram 169 ocorrências de conflitos por terra em 2020, uma crescente de 96% comparado a 2019, ano em que foi registrado 86 casos. A Pastoral também documentou um total de 13.029 famílias envolvidas nestes casos.

As ações de expulsão, despejos judiciais, ameaças e tentativas de despejos diminuíram comparados ao ano de 2019, porém, a CPT analisa que os casos foram mais violentos, reflexo disso é o crescimento do número de destruição de casas, que chegou a 324, um aumento 101%.

O quantitativo de roças destruídas chegou a 419, aumento de 498%; a destruição de bens a 1.151, acréscimo de 2%, e as invasões de territórios cresceu de 2.288, em 2019, para 6.916, cerca de 202% a mais.

De acordo com o G1, o Mato Grosso, a Pastoral da Terra enumerou 719 ações de pistolagem contra os povos do campo; os casos de grilagens de terras públicas foram de 869, um aumento de 13% em relação a 2019; também apontou 1.184 famílias ameaçadas por despejos judiciais; e 1.238 famílias que sofreram ameaças de expulsão de seus territórios; o total de despejos judiciais no estado foi de 474.

Outro tipo de conflito que sofreu aumento em 2020 no estado, foi o conflito por águas, que também deixaram MT na liderança do Centro-Oeste. O número saltou de 4, em 2019, para 22 no ano passado, impactando 3.091 famílias.

O numero de famílias envolvidas em 2019 foi de 311. No entanto, houve um crescimento de 893% nos últimos dois anos. No Brasil, foram documentados 350 conflitos por água com 56.292 famílias afetadas.

Leia também:

Comentários