Brasil

Suspeitos de usar imobiliária para vender lotes tomados à força são presos

O grupo teria faturado cerca de R$ 2,1 milhões com a transação de pelo menos 30 lotes

diario da manha

Integrantes de uma associação criminosa acusada de ameaçar e usar a violência para expulsar moradores dos próprios lotes, na Vila Estrutural (DF), foram alvos da Operação Tríade da 8ª Delegacia de Polícia, na última sexta-feira, 27. Segundo as investigações, os criminosos usavam uma imobiliária, no Recanto das Emas para intermediar a negociação dos lotes tomados à força.

O grupo teria faturado cerca de R$ 2,1 milhões com a transação de pelo menos 30 lotes. Em média, os terrenos eram anunciados com valores entre R$ 70 mil e 120 mil.

Segundo a delegada-chefe da 8ª DP, Jane Klebia, além da violência imposta pela quadrilha, também envolvida em tráfico de drogas, extorsão, estelionato e homicídios, as vítimas que compravam os terrenos eram enganadas. “Como costumavam vender para famílias de pouca instrução, o bando forjava escrituras públicas e vendia as propriedades como se fossem escrituradas”, afirma Klebia.

De acordo com a polícia, foram cumpridos quatro mandados de prisão e nove de busca e apreensão. Os policiais buscaram armas, drogas, documentos falsos e outras provas que confirmassem a atuação dos golpistas na região.

Segundo as investigações, os envolvidos tinham passagens por tráfico de drogas, homicídio, porte de arma, roubo, entre outros crimes. Quatro alvos de mandado de prisão e dois casais de traficantes foram presos. Documentos e R$ 2 mil em dinheiro foram apreendidos.

Leia também:

Comentários