Brasil

Inflação aumentou alimentos, combustíveis, energia elétrica e gás no último ano

Segundo a pesquisa, a inflação no último ano foi de 9,68%

diario da manha


A inflação nos últimos 12 meses, aumentou itens básicos consumidos pelos brasileiros, elevando o percentual muito acima da média do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em agosto, a inflação foi de 0,87%, a mais alta para o mês desde 2000, atingindo 9,68% no último ano. Alimentos comuns nas refeições cotidianas e o botijão de gás presente no preparo dessas, também subiram.

Além dos alimentos, a pesquisa apontou uma alta de 30,2% nos combustíveis para veículos, sendo que o etanol subiu 62,3%, a gasolina, 39,1% e o diesel, 35,4%. Outro vilão da inflação é a energia elétrica, que em residências teve alta de 21,1%.

Itens que subiram entre setembro de 2020 e agosto de 2021:

  • Repolho: 75,7%
  • Óleo de soja: 67,7%
  • Pimentão: 59,5%
  • Pepino: 59,3%
  • Abobrinha: 58,4%
  • Mandioca (aipim): 41,6%
  • Feijão fradinho: 40,3%
  • Gasolina: 39,1%
  • Músculo: 38,9%
  • Açúcar refinado: 37,7%
  • Material hidráulico: 36,6%
  • Patinho: 36,1%
  • Cupim: 35,5%
  • Diesel: 35,4%
  • Filé-mignon: 35,3%
  • Lagarto comum: 34,3%
  • Laranja-lima: 33,4%
  • Costela: 33,3%
  • Picanha: 33,1%
  • Arroz: 32,7%
  • Pneu: 31,9%
  • Gás de botijão: 31,7%
  • Tomate: 31,4%
  • Alcatra: 29,8%
  • Frango em pedaços: 25%
  • Energia elétrica residencial: 21,1%.

*Com informações do UOL

Leia também:

Comentários