Brasil

Justiceiros da Fronteira matam brasileiro, e deixam bilhete "não roubar na fronteira"

Em todos os casos envolvendo o grupo, os envolvidos sempre deixaram um bilhete ao lado dos corpos das vítimas com mensagens como "não roubem"

diario da manha

Em Pedro Juan Caballero, fronteira do Paraguai com o Brasil, foi encontrado morto na noite de sábado, 25, o brasileiro Rogério Laurete Buosi, de 26 anos. De acordo com as informações divulgadas, o jovem foi morto com pelo menos 13 tiros e ao lado do corpo do brasileiro a polícia encontrou um bilhete com a mensagem “não roubar na fronteira”, que foi deixada supostamente pelos suspeitos do homicídio.

A irmã de Rafael, Ana Lara Batista Leal, disse a outros portais de notícias, que o rapaz morava no Paraguai há dois meses, e que se mudou para o país para trabalhar a convite de amigos e que em outubro ele voltaria para a sua cidade natal onde mora a família.

Brasileiro é mais uma vítima dos “Justiceiros da Fronteira”

O caso do brasileiro é mais um que envolve os chamados Justiceiros da Fronteira. No mês de agosto deste ano, dois jovens foram assassinados em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul (MS) e mais uma vez foram encontrados bilhetes ao lado dos corpos que responsabilizava o grupo Justiceiros da Fronteira.

Antes dos rapazes serem assassinados, o casal Mateo Martínez Armoa, de 21 anos, e sua companheira Anabel Centurion Mancuelo, de 22, foram executados com 47 tiros em Pedro Juan Caballero. Um dia depois, um adolescente de 17 anos, também foi assassinado e encontrado sem as mãos e com um bilhete escrito “os justiceiros estão de volta”.

Além destes casos, pelo menos mais três vítimas foram mortas e foram encontrados bilhetes com a mesma mensagem ao lado de seus corpos “não roubem”.

*Com informações do IG

Leia também:

Comentários