Brasil

Suspeitos de roubar e atirar em 4 pessoas são presos

O pedreiro que trabalhava no imóvel e uma adolescente de 17 anos morreram

diario da manha
Isabelle Amaral Costa, de 17 anos foi morta com tiros na cabeça durante assalto em SP Foto: Reprodução

Quatro pessoas foram baleadas durante um assalto em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Uma vizinha das vítimas relatou, neste domingo, 26, que a mãe de uma das vítimas, mesmo após ser baleada no rosto, implorou para que salvassem a vida de suas filhas. O pedreiro que trabalhava no imóvel e uma adolescente de 17 anos morreram.

“Após a mãe [vítima] das adolescentes gritar por socorro, fomos até lá, ela me pegou pela mão e nós entramos na casa. Vimos o pedreiro de bruços amarrado, a adolescente que faleceu no chão, muito sangue, e a menina de 12 anos. A mãe pedia muito para a gente ajudar a socorrer as meninas e chegamos a pegar a adolescente de 17 anos no colo, para levar para fora e conseguir socorrê-la”, diz a vizinha.

O caso aconteceu na última sexta-feira, 24, no bairro Suarão. Os suspeitos roubaram o carro da família, levaram diversos pertences da residência e atiraram nas vítimas. A mãe, de 41 anos, e suas duas filhas adolescentes, de 17 e 12 e um pedreiro, de 44 anos, que realizava serviços no local, foram alvos dos criminosos.

O pedreiro Geosaldo Cesário Monteiro, morreu no local, Já a adolescente Isabelle Amaral Costa, morreu no hospital, na madrugada do último sábado, 25. A mãe e a filha mais nova seguem internadas.

De acordo com a vizinha, os moradores ficaram assustados. “Foi uma cena de massacre, quatro pessoas com tiro na cabeça. Um terror. A mãe falou que pediu que eles levassem tudo, para não mexer com eles [vítimas], mas eles não ouviram. A mãe estava baleada, em estado grave, mas com a adrenalina do amor pela filhas teve força para pedir ajuda, chacoalhar minha filha e dizer ‘salva minhas filhas, elas vão morrer'”, conta.

Duas mulheres, de 20 e 26 anos, dois homens, de 22 e 27, foram presos pela Polícia Militar e um adolescente, de 16, foi apreendido, suspeitos de envolvimento no crime. O homem, de 22, confessou ser o autor dos disparos. Ele era procurado pela Justiça de Campinas.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o caso foi registrado como latrocínio, ato infracional pelo mesmo crime, tentativa de roubo, captura de procurado, apreensão de adolescente e corrupção de menor no plantão permanente da cidade e encaminhado ao 3º DP.

Leia também:

Comentários