Brasil

Racismo: Homem chama local para funcionários de 'senzala'

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) pediu que a Polícia Civil apure a denúncia

diario da manha
Foto: Reprodução

Ivan Zacharauskas foi acusado de racismo após se referir ao local em que os funcionários de um condomínio de luxo, em Campinas (SP) ficam, como “senzala”. O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) pediu que a Polícia Civil apure a denúncia.

Segundo uma denúncia anônima feita ao MP-SP, durante uma assembleia no condomínio, o morador teria dito que a maioria dos funcionários era de “negros e pardos” e que a casa de apoio usada por eles se parecia com uma “senzala”. 

Ivan afirma que enviou uma carta aos moradores, funcionários, conselhos e à administração, alegando que os trechos da ata “estão incompletos”. “Não estão condizentes com minha fala completa, que foi omitida na referida ata, por omissão, intencional ou não, ou por desatenção”, disse.

“Em tempos nos quais crimes de racismo, homofobia, transfobia, feminicídio, entre tantos outros hediondos, aparecem todos os dias nos jornais, fiz a comparação do estado da referida casa a uma senzala, em simples crítica ao próprio condomínio e sua administração por não realizar manutenções na mesma”, diz um trecho da carta.

Leia também:

Comentários