Brasil

Diretora investigada por maus-tratos a crianças é considerada foragida da Justiça

Nos vídeos que circularam nas redes sociais os bebês aparecem amarrados com lençóis e chorando embaixo de uma pia do banheiro da escola Colmeia Mágica

diario da manha
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal/Redes sociais

A diretora Roberta Regina Rossi Serme, de 40 anos investigada por vídeos que mostram maus-tratos a crianças em uma escola infantil particular da Zona Leste de São Paulo, passou a ser considerada foragida da Justiça depois da decretação da sua prisão temporária, na última terça-feira, 22.

Roberta é uma das sócias proprietárias da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, na Vila Formosa, e está sendo investigada por suspeita de maus-tratos, periclitação de vida, que é colocar a saúde das crianças em risco, submissão delas a vexame ou constrangimento e tortura.

Nos vídeos que circularam nas redes sociais os bebês aparecem amarrados com lençóis e chorando embaixo de uma pia do banheiro da escola Colmeia Mágica. Veja abaixo:

Até a última atualização desta reportagem, Roberta não havia sido presa ou se entregado à polícia. A investigação foi a três endereços ligados à diretora e não a encontrou neles. Ela nega ter amarrado ou mandado alguém amarrar as crianças que aparecem nos vídeos.

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP), informou que “é pautada pelo respeito às leis.” E que “declarações infundadas não impedirão que o trabalho seja concluído e encaminhado ao Ministério Público [MP] e à Justiça.”

Com informações do G1

Leia também:

Comentários