Brasil

Polícia pede prisão e indiciamento de Saul Klein

Advogado do empresário afirmou que a decisão de pedir o indiciamento de Klein foi arbitrária por parte da delegada que investiga o caso

diario da manha

A Polícia Civil de São Paulo pediu a prisão preventiva do empresário Saul Klein, e também indiciou Klein por organização criminosa, trabalho análogo à escravidão, tráfico de pessoas, estupro, estupro de vulnerável, casa de prostituição, favorecimento de prostituição e falsificação de documentos públicos. Além do empresário, outras nove pessoas que tem envolvimento com os crimes também tiveram a prisão decretada.

De acordo com a delegada Priscila Camargo, a investigação dura mais de 15 meses, e que existem diversas pessoas para serem indiciadas, com envolvimento no esquema de aliciamento criado por Saul.

Em reposta ao indiciamento de Klein, seu advogado, André Boiani e Azevedo considerou que o mesmo foi arbitrário, mas que seu cliente e a defesa respeitam a posição da Polícia Civil, e que quando o documento for levado para o Ministério Público, os elementos contido nele, farão com que eles concluíam que o empresário é inocente das acusações.

Advogado de Klein afirma que as relações foram com consentimento das mulheres

Em outubro do ano passado o advogado do empresário negou todas as acusações que pesam contra o empresário, e quem em relação as mulheres, não houve nenhum ato violento. Boiani inclusive pontuou que as relações que o seu cliente teve com as mulheres foram todas com consentimento delas.

Pelo menos 14 mulheres denunciaram o empresário e conforme as advogadas Priscila Pamela dos Santos e Maíra Recchia, a decisão de pedir o indiciamento e a prisão do empresário por parte da delegada, vem de encontro ao entendimento da defesa das vítimas de Saul Klein.

*Com informações do Uol

Leia também:

Comentários