Brasil

Caso Bruno e Dom: Amarildo se contradiz sobre autoria dos tiros durante reconstituição do crime

Os dois foram assassinados em Atalaia do Norte, no Amazonas

diario da manha
Foto: Reprodução

Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pelado”, um dos suspeitos de matar o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips, se contradisse sobre a autoria dos tiros disparados contra os dois que foram assassinados em Atalaia do Norte, no Amazonas.

Durante a reconstituição, feita no dia 15 de junho, Amarildo diz que participou apenas da ocultação dos corpos e afirma que Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha” , atirou. Antes, em depoimento, Amarildo admitiu que participou de tudo, desde os assassinatos até a ocultação dos corpos.

Após a reconstituição, em novo depoimento, ele confessou tudo novamente, e disse que matou, esquartejou e ocultou os restos mortais de Bruno e Dom.

Bruno e Dom tinham sido vistos pela última vez no dia 5 ao chegarem à comunidade São Rafael. Os dois estavam numa embarcação de pequeno porte e desapareceram num trecho entre a comunidade São Rafael e o município de Atalaia do Norte, região que vive sob constante conflito.

Eles já faziam expedições na área fronteiriça com o Peru desde 2018 e já sofreram ameaças de morte de madeireiros e garimpeiros que tentam dominar o local.

No dia 13 de junho, a mulher de Dom Philips, Alessandra Sampaio, disse que os dois haviam sido encontrados mortos.

Com informações do G1

Leia também:

Comentários