Brasil

Justiça do Amazonas determina que governo use helicópteros e embarcação nas buscas de indigenista e jornalista desaparecidos

A juíza alega, na decisão, que se não houvesse omissão, a probabilidade de ter encontrado os dois seria maior, mesmo que mortos

diario da manha
Foto: @domphillips no Twitter e Bruno Jorge/ Funai

A Justiça do Amazonas determinou que o governo use helicópteros, equipes e embarcações nas buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista Dom Phillips, que estão desaparecidos desde domingo, 5, no Vale do Javari. A ordem judicial foi feita nesta quarta-feira, 8.

A decisão, assinada pela juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, autoriza que ela, junto ao Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União exigem que a Polícia Federal, o Comando Militar da Amazônia e Força Nacional de Segurança tomem medias urgentes nas buscas.

A juíza alega, na decisão, que se não houvesse omissão, a probabilidade de ter encontrado os dois seria maior, mesmo que mortos.

“É oportuno destacar que, caso as rés tivessem se desincumbido de cumprir obrigação de fazer relativamente à proteção e fiscalização das terras indígenas em constante alvo de invasão por garimpeiros e madeireiros ilegais, é provável que os cidadãos tivessem sido localizados, ainda que não vivos. O cerne da questão é a omissão do dever de fiscalizar as terras indígenas e proteger os povos indígenas isolados e de recente contato”, avalia.

Bruno Araújo era ameaçado constantemente por madeireiros e garimpeiros na região. Segundo a União das Organizações Indígenas do Vale do Javari (Univaja), ele foi atemorizado alguns dias antes de viajar com o jornalista do The Guardian, Dom Phillpis.

Leia também

Comentários