Cidades

Troca de bebês pode ter ocorrido devido à problemas de identificação após o parto, em Trindade

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, dentro de 10 dias as investigações devem ser concluídas

diario da manha
Foto/Reprodução

Neste sábado (27/07) o delegado André Fernandes realizou oitivas sobre o caso da troca de bebês em Trindade, Região Metropolitana de Goiânia. Segundo informações iniciais da investigação, os pais das duas crianças já foram identificados e prestaram esclarecimentos na manhã de hoje.  

De acordo com informações apuradas pelo delegado regional de Trindade, a troca das crianças pode ter acontecido a partir de um erro que ocorreu no procedimento de identificação dos recém-nascidos e dos pais após o parto, respectivamente.

André informou que hoje quatro pessoas foram ouvidas e agora será realizado uma investigação nos documentos de identificação do Hospital de Urgências de Trindade (HUTRIN). Além disso, o delegado informou que mesmo sabendo da troca dos bebês, os mesmo só poderão estar com suas respectivas famílias após a realização de um novo exame de DNA.

De acordo com André, as famílias foram orientadas sobre a realização do exame e dentro de 10 dias as investigações devem ser concluídas e os responsáveis pelo erro indiciados.

Entenda o caso da troca de recém-nascidos

Os pais de uma criança descobriram na última sexta-feira (26/7) que o filho que eles estavam criando, não era o filho biológico deles, pois a criança foi trocada no Berçário do HUTRIN.

O Diário da Manhã entrou em contato com a assessoria de imprensa do hospital e por meio de nota, o caso foi confirmado. Segundo a unidade de saúde todas as medidas necessárias foram tomadas com o intuito de apurar a troca de bebês na unidade.

Confira a nota do Hutrin sobre a troca de Bebês na unidade

“O Hospital Estadual de Urgências de Trindade Walda Ferreira dos Santos (HUTRIN) esclarece de forma preliminar o seguinte: A direção do hospital tão logo foi notificada da suspeita de troca de bebês instaurou uma comissão sindicante para apurar o caso e afastou as pessoas que estavam de serviço no berçário nos dias dos nascimentos e alta de mães e crianças;

Instaurou um processo ético-disciplinar para apurar responsabilidades no ocorrido;

Manteve contato com a mãe e com o pai do bebê afim de elucidar o fato em todas as suas possibilidades;

Notificou a mãe e o pai sobre a realização de exames de DNA para comprovar a paternidade e maternidade sobre a criança e estabeleceu como parâmetro a realização de outros exames visando contraprova do fato;

Está realizando um completo levantamento de todos os nascimentos na data para eliminar todas as dúvidas;

Está selecionando todas as imagens de circuito interno de TV para instruir a investigação e documentar as saídas de pais, acompanhantes e crianças nascidas nesse período;

O Instituto CEM, Organização Social gestora do HUTRIN e a direção do hospital estão acompanhando com integral cuidado e respeito aos princípios éticos e de responsabilidade para com a saúde humanizada e tratamento aos pacientes atendidos na unidade.

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO