Cidades

Atlas da Violência: criminalidade se espalhou pelo interior de Goiás em 2017

Pesquisa quantitativa mostra que Goiás aumentou seus índices de violência nos anos anteriores a 2017

diario da manha

O anuário “Atlas da Violência 2019 – Retratos dos municípios”. que apura a criminalidade ocorrida no país em 2017 e anos anteriores, continuação do “Atlas da Violência 2019”, divulgado no mês passado, trouxe dados novos sobre a violência praticada em Goiás – como a lista com os municípios mais violentos e o fato da delinquência grave ter se espalhado pelos vários municípios goianos nos anos anteriores.

Os levantamentos do “Mapa da Violência”, do Instituto Sangari, realizados até 2016, e o atlas organizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) revelavam que a tendência da criminalidade estava concentrada nas regiões metropolitanas.

A pesquisa manteve Goiás na liderança da violência no Centro-oeste: Goiás lidera a taxa estimada de homicídios, com 43,9 mortes por 100 mil, na frente de Mato Grosso, com 34,3; Mato Grosso do Sul, com 25,7 e Distrito Federal, com 20,5.


Os números revelam que o goiano tem duas vezes mais chances de ser assassinado do que o morador do Distrito Federal.


O anuário revela que durante 2017 ocorreu uma maior disseminação dos homicídios por todo estado: “Na região Centro-Oeste, verificamos que a UF com a maior taxa de mortes violentas era Goiás (43,9), seguida por Mato Grosso (34,3), Mato Grosso do Sul (25,7) e Distrito Federal (20,5). O mapa 2.5 ilustra a distribuição espacial da taxa estimada de homicídios na região Centro-Oeste, onde se pode perceber visualmente que os estados de Mato Grosso e Goiás possuíam maior proporção de municípios com altas taxas de mortes violentas. Coincidentemente, eles tinham exatamente a mesma mediana da taxa de homicídio, de 28,9, ao passo que a mediana do Mato Grosso do Sul era de 25,6 mortes para cada 100 mil habitantes. Enquanto em Goiás e em Mato Grosso se percebe um espalhamento dos municípios com maiores índices de homicídios por todas as mesorregiões, em Mato Grosso do Sul, os territórios com maiores índices de homicídios se concentravam na região metropolitana de Campo Grande e no Cone-Sul do estado, na região de Ponta Porã. Em Goiás, em 2017, observa-se uma concentração maior de mortes violentas intencionais no entorno de Brasília e na região metropolitana de Goiânia, nos municípios de Goiânia (40,7), Aparecida de Goiânia (60,4), Senador Canedo (48,4) e Trindade (57,7). Todavia, inúmeros municípios muitos pequenos, com população muitas vezes menores do que 10 mil habitantes, possuíam alta prevalência relativa de homicídios em todas as mesorregiões goianas, como são o caso de Colinas do Sul (141,7) e Trombas (112,0), no Norte. No Centro, os Retrato dos Municípios Brasileiros 33 municípios com maiores índices são Caldazinha (108,0), Aragoiânia (98,4), Campo Limpo de Goiás (95,3) e Goianira (93,8), sendo que este último possui população pouco maior, de 41 mil habitantes. No Sul, municípios com cerca de 12 mil habitantes possuíam os maiores índices de homicídio, sendo eles: Maurilândia (97,2), Edéia (89,9) e Anhanguera (88,8). No Leste, Simolândia (96,0) e Colinas do Sul, ambos com menos de sete mil habitantes, também se destacam no conjunto daqueles com as maiores taxas de homicídio”.

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO